Tudo o que você precisa saber para entrar no universo das franquias

Julia Broens

5 de setembro de 2019

O sonho de ser o seu próprio chefe vem crescendo entre os brasileiros. Antes de ingressar no mundo do empreendedorismo, surgem muitas dúvidas e até mesmo inseguranças. Se você está nessa situação, por que não optar por um modelo de negócio que já dá certo no mercado? 

Escolher abrir uma franquia é uma excelente alternativa para quer ser dono do seu negócio e tem a veia empreendedora. Além de já serem marcas já reconhecida no mercado, com processos estabelecidos e estimativas de retorno previstas, as franquias não param de crescer no Brasil

Se você quer saber mais detalhes sobre como funcionam as franquias e as vantagens desse tipo de negócio, esse post é especial para você. Levantamos as principais dúvidas e descomplicamos mais uma vez – mas, se ficar mais alguma, você pode deixar o seu comentário lá embaixo. Aproveite!

O que é franquia?
Quando as franquias surgiram?
Como funciona uma franquia?
Como adquirir uma franquia?
Como as empresas fazem a seleção dos franqueados?
Qual ramo devo seguir?
Quais os principais modelos de franquias existentes?
Segmentos de franquias
Quanto custa ter uma franquia?
Custos e taxas de uma franquia
O que significa ser um franqueador?
O que é franqueado?
O que é royalty?
O que é taxa de franquia?
O que é fundo de propaganda?
O que é conselho de franqueados?
Responsabilidades do franqueado e do franqueador
O que é a Lei de Franquias?
Desempenho das franquias no Brasil
Benefícios de ter uma franquia
O que levar em consideração antes de abrir uma franquia

O que é franquia?

Franquia é uma estratégia de negócio em que a operação e organização são copiados e replicados em diferentes pontos comerciais, com a concessão e autorização do proprietário da marca. Neste modelo, é feita uma “clonagem” do negócio original em diferentes localidades, com o direito de uso assegurado. 

Quando as franquias surgiram?

No modelo que conhecemos, as primeiras franquias surgiram por volta de 1850, quando uma empresa de máquinas de costura decidiu conceder licenças de uso e dos seus processos de operação a outros comerciantes interessados. Assim, eles passaram a revender os produtos em diferentes pontos da região. 

O modelo de negócio começou a se espalhar pelos Estados Unidos depois de mais de 50 anos e, a partir dos anos 1930, o método se tornou ainda mais popular nos mais diferentes segmentos. 

No Brasil, o franchising tomou força na década de 1980, quando várias empresas passaram a atuar com essa modalidade de negócio. Em 1987, foi criada a Associação Brasileira de Franchising (ABF), que representou mais força para o setor e impulsionou a criação da legislação específica para as franquias.   

Como funciona uma franquia?

O modelo de franquia tem se tornado cada vez mais comum no mercado nacional e internacional. Quando uma marca oferece a concessão do uso de sua marca para outras pessoas, é construído um padrão de vários procedimentos e que se tornam pré-requisitos para a criação de novas unidades. 

Com isso, existem vantagens como maior segurança na hora de começar o processo de empreender, diversidade nas possibilidades de ramos e investimentos, suporte do franqueador, expectativa de crescimento e economia na comunicação da marca, por exemplo. 

New call-to-action

Como adquirir uma franquia?

  1. Pesquise as possibilidades de mercado de atuação. Conversar com franqueados e franqueadores pode te ajudar nesse processo. 
  2. Escolha sua franquia por afinidades e habilidades. Isso te ajudará na gestão e sucesso futuros. 
  3. Você não precisa ter dinheiro em caixa para abrir sua franquia. Existem opções de empréstimo que podem te ajudar na hora de fazer o investimento inicial. 
  4. Estude a lei de franquias e fale com um advogado antes de assinar o contrato e faça isso com segurança. 
  5. Encontre a localização ideal com base no público da marca e as possibilidades de crescimento local. 

Como as empresas fazem a seleção dos franqueados?

As marcas franqueadoras costumam ser criteriosas na hora de selecionar os franqueadores, já que eles também serão responsáveis pela imagem da empresa. Cada franqueador escolhe as ferramentas para a seleção do empreendedor, mas, de maneira geral, o principal aspecto avaliado é o perfil do possível franqueado. 

Além disso, também são consideradas questões do negócio, como se o candidato tem o capital necessário para a abertura da franquia e o tempo disponível para a administração da franquia. 

Qual ramo devo seguir?

  • Conheça os segmentos e ramos disponíveis: a ABF organizou as franquias em mais de 10 segmentos, então um deles vai ser o ideal para você. 
  • Encontre a área de maior afinidade: o ideal é equilibrar os seus gostos pessoais, habilidades e desejos na hora de escolher a área de atuação. Para isso, você pode listar as atividades que mais gosta de fazer, os seus pontos fortes e assim encontrar os ramos de maior afinidade. 

Lembre-se: não é porque você gosta muito de tomar sorvete que você vai gostar de trabalhar com a produção e venda da sobremesa todos os dias. 

  • Conheça o mercado em que deseja atuar: entender qual é o momento do mercado em que você deseja atuar é muito importante para encontrar as melhores oportunidades e traçar a estratégia adequada para a sua atuação. 
  • Faça comparações: mesmo com a segmentação das franquias, o mercado é bastante abrangente e te oferece muitas alternativas. Dentro de um mesmo ramo, é fundamental conhecer as marcas e as diferenças entre elas, desde os produtos, investimentos necessários e quem é o público-alvo, por exemplo. 
  • Converse com pessoas envolvidas: vale a pena ter a percepção sobre como o negócio funciona na prática, e ninguém melhor que o dono da marca (franqueador) ou outros franqueados. Converse com o franqueador para entender os detalhes da operação, a estimativa de lucro e as sazonalidades importantes para o produto ou serviço. 
  • Estime uma margem de lucro: como o processo de abrir uma franquia é padrão, é mais fácil para você ter uma ideia de quanto isso pode gerar de resultados. Mas não se esqueça de que o negócio não vai ser lucrativo sem esforços: você vai precisar se dedicar muito na hora de conduzir a sua própria franquia. 

Quais os principais modelos de franquias existentes?

  1. Franquias unitárias: permitem que o franqueado trabalhe de maneira exclusiva em um ponto de atuação. As franquias ou quiosques dos shoppings, por exemplo, seguem esse modelo. 
  2. Franquias máster: permitem que o franqueado conceda o uso da marca para outros franqueados. Dessa maneira, ele tem o direito de representar a marcar em uma determinada região. Para adquirir esse modelo, o investimento é bem maior, mas o lucro costuma ser proporcional. 
  3. Franquia de desenvolvimento de área: o franqueado também fica responsável pela marca em uma determinada região e, no início do processo, ele se compromete a abrir um determinado número de unidades. Como o valor a ser investido é mais alto, esse modelo exige um bom nível de maturidade do empreendedor. 
  4. Microfranquia: em crescimento, esse modelo tem sido cada vez mais atrativo para quem quer começar no mundo das franquias. Com investimentos mais baixos, o retorno do capital investido é mais rápido. Neste modelo, existem até marcas que permitem que o franqueado trabalhe sem sair de casa, com o home office. 
  5. Shop in shop: essa modalidade permite que o franqueado abra uma franquia dentro de uma estabelecimento que já existe. É o que acontece nos supermercados que abrem franquias nos modelos de quiosques, por exemplo.  
  6. Franquia de conversão: essa é uma alternativa para o empreendedor que já tem a sua empresa e quer transformá-la em uma franquia. Um exemplo é o empresário que tem uma lavanderia e, para alavancar o seu negócio, ele converte o seu negócio em uma franquia de lavanderia. Assim, ele consegue impulsionar o empreendimento com a toda a expertise do franqueador. 
  7. Franquia combinada: é quando o franqueado traz duas franquias para um mesmo espaço. É importante lembrar que esse tipo modelo precisa ter a autorização do franqueador. Essa combinação representa uma grande vantagem para o empreendedor, já que os negócios complementares podem aumentar o número de clientes no seu estabelecimento. 
  8. Franquia social: é o negócio que não busca lucratividade, e sim a distribuição de serviços sociais sem fins lucrativo. É a ideia de utilizar os princípios do franchising para reproduzir um projeto social e aumentar o seu alcance na criação de mais unidades de ação. 

Segmentos de franquias

Entre os diferentes ramos de atividade, a ABF classificou em mais de 10 segmentos para investir em franquias:

  • Alimentação;
  • Casa e construção;
  • Comunicação;
  • Informática e eletrônicos;
  • Entretenimento e lazer;
  • Hotelaria e turismo;
  • Limpeza e conservação;
  • Moda;
  • Saúde;
  • Beleza e bem estar;
  • Serviços automotivos;
  • Serviços e outros negócios;
  • Área educacional. 

Para conhecer todas as franquias de cada segmento, confira o Guia de Franquias ABF, e pesquise as marcas pela sua área de atuação. 

Quanto custa ter uma franquia?

Apesar de existirem custos semelhantes, como a abertura da franquia, a manutenção periódica e despesas com funcionários, o preço varia de acordo com a marca – no mercado, você pode encontrar oportunidades entre R$ 10 mil e R$ 36 milhões. 

Além do valor necessário para a abertura da franquia, como a taxa de franquia, é importante que exista uma reserva para o capital de giro. 

Custos e taxas de uma franquia

Entre os gastos principais estão: 

  • Taxa de franquia, que é o valor que você paga ao franqueador ao assinar o contrato com a marca que irá representar; 
  • Taxas mensais e os valores acordados em contrato pelo uso da marca, como royalties e publicidade; 
  • Pagamento de funcionários e fornecedores. Ainda que os fornecedores sejam os mesmos do franqueador, a gestão do espaço é sua responsabilidade; manutenção do local no que diz respeito à estrutura física, aluguel e impostos. 

New call-to-action

O que significa ser um franqueador?

É quem tem o direito sobre determinada marca ou patente e que criou o modelo de negócio. Ao ceder o uso dessa marca a terceiros, o franqueador recebe uma remuneração pelo uso do sistema de operação. 

O que é franqueado?

É a pessoa que escolhe uma franquia que se encaixa no seu perfil e que faz a gestão direta da unidade. É quem pagou pelo direito de uso da marca ou patente, e se comprometeu com a marca a seguir o modelo definido pelo franqueador. 

O que é royalty?

É o pagamento periódico que o franqueado precisa fazer para usar a marca e pelos serviços oferecidos pelo franqueador. Costuma  ser cobrado como um percentual do faturamento bruto. 

O que é taxa de franquia?

É o valor cobrado no momento da assinatura do contrato de franquia – ou, em alguns casos, no pré-contrato. Esse valor é determinado pelo franqueador e também é referente a alguns serviços que inicialmente são oferecidos aos franqueados. Existem algumas marcas de franquias que fazem a cobrança desta taxa nas renovações de contrato. 

O que é fundo de propaganda?

É o valor que equivale à propaganda que é custeada pelos franqueadores e franqueados. Ele é utilizado para todas as ações de comunicação que impactam na construção e consolidação da marca, o que acaba beneficiando tanto os franqueados quanto os franqueadores. 

O que é conselho de franqueados?

É um grupo criado pelo franqueador e que é composto por um grupo de franqueados. Tem como objetivo facilitar a comunicação entre a marca franqueada e os franqueadores e, entre as suas atividades, faz a gestão do fundo de propaganda. 

Responsabilidades do franqueado e do franqueador

A relação entre franqueado e franqueador precisa ser saudável para que as duas partes consigam atingir seus objetivos, inclusive o de sucesso da marca. Além de seguir a Lei de Franquias, o colaboração entre ambas as partes é fundamental para o trabalho diário. Entre as responsabilidades reconhecidas no contrato e aquelas que ajudam na construção de uma relação harmoniosa, estão: 

 Responsabilidades do franqueado:

  1. Seguir os critérios de padronização: estar ciente de toda a operação, e inclusive das horas a serem trabalhadas e das competências necessárias – suas e dos funcionários – para fazer o negócio crescer. 
  2. Cuidar da saúde financeira da franquia: é necessário ter uma boa administração e cuidado com o dinheiro da própria unidade. 
  3. Usar os recursos disponíveis para crescer: abrir uma franquia não é sinônimo de lucro sem esforço. É essencial que o empreendedor utilize todas as boas características de uma franquia, uma boa comunicação e afinidade com o ramo para se posicionar da melhor maneira no mercado. 

Responsabilidades do franqueador:

  1. Oferecer treinamento: é dever do franqueador ofertar treinamento completo de tudo que envolve a marca, desde a maneira como se comunicar para vender até a metodologia de trabalho aplicada. Isso porque uma marca só segue um padrão no mercado se os processos forem aplicados em todas as unidades do negócio. 
  2. Dar suporte ao franqueado: a responsabilidade de gerir cada unidade é do franqueado, mas para manter a qualidade que a marca representa é preciso que o franqueador oferte o suporte necessário. Isso significa apoiar o franqueado a estabelecer metas para o negócio, fazer acompanhamento do desempenho das unidades, oferecer consultoria, ter um canal aberto para que o franqueado tire dúvidas sobre a operação, etc. 

O que é a Lei de Franquias?

A Lei de Franquias tem como objetivo garantir o cumprimento das principais regras para uma marca operar no sistema. É uma lei importante de ser conhecida, além de ter no contrato de franquia todas as regras de pagamento de royalties, território de atuação, produtos e serviços a serem comercializados, entre o franqueador e o franqueado.  

Desempenho das franquias no Brasil

No Brasil, o mercado de franquias não para de crescer. No segundo trimestre do de 2019, a ABF registrou um crescimento nominal de 5,9% em relação ao mesmo período do ano passado – em um crescimento de R$ 40,734 bilhões para R$ 43,122 bilhões. Já nos primeiros 6 meses do ano, o aumento foi de 6,4%. 

Benefícios de ter uma franquia

  • Maior segurança: trabalhar com um modelo de negócio já testado no mercado significa cortar etapas no processo de empreender. Muitos dos aprendizados que você teria empreendendo sozinho, você receberá do franqueador. Isso implica em um modelo com menos risco de rejeição e mais aceitação pelos clientes. 
  •  Diversidade de ramos e investimentos: as possibilidades de área de atuação, tamanhos de empresas e valor de investimento no setor de franquias são grandes. Isso significa em uma variedade muito grande de opções para escolha: assim, você pode optar pelo ramo que mais te interessa. 
  • Suporte do franqueador: o padrão de planos de negócios e processos da marca ajuda o empreendedor a encontrar fornecedores, a trabalhar no ritmo correto e ainda ter o suporte necessário para que o negócio faça sucesso. 
  • Expectativa de crescimento: a ABF tem divulgado dados que mostram o crescimento contínuo do setor de franquias. Para 2019, a expectativa é que o setor gere 8% mais empregos diretos, representando cerca de 1,3 milhão de trabalhadores. 
  • Economia na comunicação: trabalhar com uma marca já consolidada no mercado tem a vantagem de dividir os custos com publicidade, uma vez que o próprio dono da marca precisa que ela seja vista. Isso quer dizer que, além do seu esforço para divulgar o seu negócio, a marca também vai fazer a sua divulgação.

call to action para baixar ebook

O que levar em consideração antes de abrir uma franquia

Antes de ingressar no mundo das franquias, é importante que, no seu planejamento, você considere alguns pontos importantes:

  • Entenda quais são as possibilidades de franquias: entre as diferentes possibilidades de franquias, é importante conhecer quais são elas e qual se adequa ao seu perfil de acordo com a afinidade, modelo e até mesmo as avaliações da marca. Além disso, entenda o momento do mercado em que a franquia está inserida – se o setor de sorvetes está em crise, pode ser mais inteligente investir no setor de chocolates. 
  • Converse com o franqueador:  o contato com o franqueador é fundamental para a operação da franquia. Por isso, conhecer um pouco mais sobre a marca e o funcionamento dos processos pode representar muito para a sua tomada de decisão.  
  • Faça um planejamento financeiro: independente do modelo de negócio, fazer o planejamento e a gestão das finanças é fundamental para a saúde financeira. 
  • Invista na sua capacitação: estar atualizado e  investir em formações que ajudem no controle financeiro e no planejamento estratégico vai te ajudar bastante na gestão da sua franquia. 

O que você achou deste conteúdo? Se ainda você tem alguma dúvida, deixe o seu comentário aqui e ajudamos a esclarecer!

Julia Broens

Seguidora fiel do mundo financeiro, de inovação e tecnologia, escrever sempre foi uma das minhas grandes paixões. Sou formada em Comunicação Organizacional e acredito que a boa comunicação é fundamental para descomplicarmos o universo financeiro

Um jeito descomplicado de você acompanhar as novidades do nosso blog.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *