Como quitar as dívidas do cartão de crédito?

Caique Cabral

26 de agosto de 2019

Cartão de crédito pode ser um grande aliado para quem quer mais comodidade, facilidade para comprar online, fazer viagens ou parcelar compras grandes, mas preste atenção aos gastos porque é muito fácil perder o controle, principalmente fazendo compras parceladas, e contrair uma dívida de cartão de crédito. No ano passado, 8 em cada 10 brasileiros tinham dívidas com cartão de crédito e isso está cada vez mais comum. Muitas pessoas inclusive, estão tão preocupadas que estão desenvolvendo depressão por conta das dívidas. Se você faz parte desse grupo, não se preocupe! Tudo tem um jeito. O importante é não desanimar, erguer a cabeça e se organizar para quitar as dívidas e acabar com esse problema. 

Nesse post, vamos responder várias perguntas e dar algumas boas dicas para você saber como negociar dívida de cartão de crédito, como controlar o uso do cartão de crédito, como ter cartão de crédito com nome sujo e o que fazer para acabar com as dívidas de uma vez por todas! 

Dívida de cartão de crédito penhora bens?
Dívida de cartão de crédito caduca?
O que fazer com dívida de cartão de crédito?
Como acabar com as dívidas do cartão de crédito?

Dívida de cartão de crédito penhora bens?

Uma das preocupações mais populares de quem está com dívida de cartão crédito é se é possível perder bens. Sim, isso pode acontecer, mas são poucos os casos e cada situação pode variar de acordo com o tamanho da dívida, sua renda mensal e quais são os bens que você possui. 

Se você ou sua família possuem apenas um único imóvel, ele não pode ser penhorado 

Um bem como esse só é penhorado em dívidas do próprio imóvel, como condomínio, IPTU, ou parcelas de um financiamento onde, no contrato, o imóvel atua como garantia do seu financiamento, isso se chama cláusula de alienação fiduciária.

Automóveis só podem ser penhorados se você tiver mais de um 

A não ser que o financiamento do mesmo preveja cláusula de alienação fiduciária, igual com o caso do imóvel que comentamos acima.

Outra dúvida comum é se a dívida de cartão de crédito pode bloquear a conta corrente. A resposta é: depende. Coisas que você usa para trabalhar, como sítios, edificações ou chácaras de pequeno porte, ou são frutos do seu trabalho, como seu salário ou dinheiro guardado na poupança, não são penhoráveis. Se o banco bloquear sua conta corrente ou poupança por conta própria, é uma ação abusiva. Porém, existem dois tipos de bloqueio de conta que são permitidos:

Bloqueio judicial: quando durante o processo sobre a dívida, o juiz permite o bloqueio para pagamento da dívida.

Bloqueio preventivo: se o banco desconfiar da origem do dinheiro, ele pode bloquear como medida de segurança e levar à justiça.

Dívida de cartão de crédito caduca?

É bem comum ouvir por aí pessoas comentando que depois de 5 anos a dívida do cartão de crédito caduca, mas isso não é verdade! O que acontece é que depois desse prazo, o seu nome não vai mais constar na lista do Serasa. Então se você for pedir crédito a outra instituição financeira depois desse tempo, é possível conseguir. Mas o banco emissor do cartão que você usava ainda poderá cobrar a dívida. Inclusive, não esqueça de que dívida de cartão de crédito pode ser cobrada judicialmente e dar uma grande dor de cabeça.

Para quem sempre quis saber como ter cartão de crédito com o nome sujo, uma opção é ter um cartão de crédito pré-pago, que nada mais é que uma conta onde você coloca dinheiro através de boleto ou transferência e usa o saldo que está lá no modo “crédito”. Isso facilita na hora de comprar online, já que alguns sites não processam pagamentos com cartões de débito ou boletos. 

O que fazer com dívida de cartão de crédito?

Uma coisa que você precisa saber é que: pagar o valor mínimo da fatura do cartão não adianta e só piora a sua dívida! 

O primeiro passo para resolver o problema é saber exatamente quanto você está devendo no total, considerando todos os juros e correções. 

Depois disso, uma boa pedida é trocar essa dívida por uma dívida mais barata, como um empréstimo pessoal, e então entrar em contato com o banco para negociar sua dívida. Lembre-se: quitar cartão de crédito tem desconto na dívida total, sim! Basta negociar direitinho.

Como acabar com as dívidas do cartão de crédito?

Como falamos antes, para quitar as dívidas do cartão e acabar com essa dor de cabeça, você precisa passar por 3 passos:

1 – Ter noção de quanto deve e de quanto pode pagar:

Aqui é hora de botar tudo no papel: comece pedindo ao banco o Custo Efetivo Total (CET) da sua dívida, que é a soma do valor da dívida a todos os juros, taxas e impostos. Além disso, é importante você saber exatamente há quantos meses você deve e qual o valor de cada fatura.

Então, liste todas as suas despesas mensais e entenda exatamente quais custos você pode cortar e quanto pode pagar mensalmente para quitar a dívida do cartão.

2 – Negocie a dívida:

Na hora de negociar, a principal dica é fazer isso pessoalmente. Com o olho no olho tudo fica mais fácil. Você pode pedir a retirada dos juros ou multa ou, pelo menos, a redução das taxas de juros. 

Os bancos sempre saem ganhando com a cobrança de taxas sobre as dívidas, porém não adianta cobrar taxas altíssimas se os devedores não vão conseguir pagar. Por isso, normalmente as instituições estão dispostas a negociar a dívida e esse é o momento em que você pode aproveitar para chegar em um valor justo, que você possa pagar.

3 – Peça um empréstimo pessoal:

Como os juros do cartão de crédito são muito altos, a melhor opção para quitar é pegar um empréstimo pessoal com taxas baixas e um bom prazo para pagamento, assim você quita a dívida à vista e paga o empréstimo em suaves parcelas mensais. Uma ótima opção é o empréstimo com garantia de imóvel, que está entre a modalidade de empréstimos com uma das melhores taxas do mercado.

Para contratar um empréstimo com garantia de imóvel, você precisa ter um imóvel residencial ou comercial averbado ou casas mistas, terrenos ou lotes não averbados. Além disso, é preciso fazer uma simulação e avaliar seu imóvel. Aí o pedido passa por uma análise jurídica e, por fim, com tudo aprovado, vem a hora de assinar o contrato e ir no cartório! Dando tudo certo, o dinheiro está com você em 10 dias.

Parece estranho, mas trocar uma dívida por outra é uma prática comum e, principalmente nesse caso, pode sim ser uma boa opção! Com o empréstimo, você pode encontrar juros mais baixos e conseguir parcelas mais leves. Assim você limpa seu nome e se compromete apenas com uma quantia que pode pagar.

Não esqueça: se você decidir continuar usando o cartão de crédito, faça isso com muito cuidado para não se endividar novamente. 

A melhor coisa nessa hora é usar o empréstimo para quitar a dívida e também fazer um fundo reserva e aproveitar esse momento para reorganizar as finanças, cortar custos, economizar ao máximo e evitar novas dívidas.

Caique Cabral

Formado em marketing e amante das letras, vejo o conteúdo como uma fonte de informação que nunca seca. Escrevo sobre finanças para além de números, sempre em busca das melhores soluções para a vida financeira das pessoas.

Um jeito descomplicado de você acompanhar as novidades do nosso blog.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *