Um novo jeito de pagar: o que é PIX, como funciona e tudo o que você precisa saber sobre

Pessoa usando o celular para realizar tarefas

O Banco Central anunciou recentemente o lançamento do PIX, um novo sistema fácil e rápido de transferências e pagamentos. Para saber mais sobre como ele funciona, quais suas vantagens e como cadastrar e utilizar o seu, confira o nosso post.

Só quem já teve que fazer uma transferência de dinheiro para outro banco sabe o quanto esse processo pode ser burocrático, demorado e cheio de taxas. E com toda a tecnologia disponível hoje, principalmente no mundo financeiro, estava mais do que na hora de uma alternativa mais rápida e eficiente ser disponibilizada.

Felizmente, esse dia finalmente chegou, e já está em funcionamento o sistema PIX do Banco Central, que promete facilitar e acelerar as operações de transferência e pagamento em todo o país. E se você quer saber o que é o PIX e como funciona o PIX, a Bcredi separou algumas das perguntas mais comuns sobre ele. Continue lendo para descobrir as respostas!

O que é PIX?

Criado pelo Banco Central do Brasil e anunciado no início de 2020, o PIX é um novo sistema de pagamentos integrado que usa a tecnologia para realizar transferências e pagamentos em até 10 segundos, em qualquer dia e horário – incluindo finais de semana e feriados, e que funciona entre diferentes bancos e instituições financeiras.

Ele tem a mesma função dos já conhecidos TED, DOC, cheque ou boleto – mas com duas principais vantagens: a velocidade e a facilidade da operação.

Como funciona o PIX?

A adesão ao PIX depende da instituição financeira (bancos ou fintechs) onde você tem conta: as 34 maiores instituições financeiras do país são obrigadas pela regulamentação a aderir ao sistema, então se você tem conta em uma delas, o sistema já está disponível para você, e aparecerá como uma opção de pagamento diretamente nos canais oficiais do banco (aplicativo, internet banking). Fora dessas 34 instituições, a adesão é opcional porém vantajosa, então as chances do seu banco ter o sistema ativo são bem grandes.

Para usar, basta cadastrar uma (ou mais) chave PIX no canal oficial da instituição financeira onde você tem conta. Atualmente, existem 4 opções de chaves que podem ser cadastradas:

  • CPF/CNPJ
  • e-mail
  • número de celular
  • chave aleatória

Essas chaves funcionam como o seu “apelido” para o sistema, e é através dela que as pessoas realizarão as transferências ou pagamentos. Elas funcionam quase como um nome de usuário, em maneira similar às redes sociais, onde o seu @ é utilizado para fazer uma menção a você. 

Na hora de realizar uma transferência ou pagamento, ao invés de precisar de todos os dados bancários da pessoa para quem a transferência será feita, você precisa saber apenas a chave que está cadastrada – que fica a critério de cada indivíduo. 

Cada um pode cadastrar quantas e quais das chaves disponíveis preferir, mas cada chave só pode ser associada à uma única conta. Por isso, caso você tenha mais de uma conta em diferentes bancos, recomenda-se escolher uma chave para cada (o celular para o banco 1 e o CPF para o banco 2, por exemplo). 

Quais são as vantagens de usar o PIX?

O PIX faz um pagamento instantâneo, ou seja, é um sistema que permite que os pagamentos e transferências sejam feitos e recebidos com uma velocidade muito superior aos processos de DOC e TED, deixando essas operações ainda mais práticas. Além disso, a velocidade pode ser muito importante em situações mais emergenciais, como o pagamento de contas ou o empréstimo rápido de dinheiro entre amigos. 

A redução da quantidade de dados necessários para realizar as transferências e pagamentos deixa tudo mais simples de se realizar, possibilitando uma inclusão financeira da sociedade ainda maior. Por ser uma operação majoritariamente eletrônica, ela tem custos mais baixos, o que permite que não sejam cobradas tarifas pelas operações. Ele também possibilita a inovação e o aumento da competitividade do mercado, com foco na eficiência e na velocidade. 

O PIX é seguro?

Segundo o Banco Central, o sistema é totalmente seguro, e conta com diversos protocolos de segurança e proteção em todas as etapas da operação. Todos os dados são criptografados e as transações ocorrem em uma rede separada da internet, o que torna ainda mais difícil qualquer ação de roubo de dados, fraude ou lavagem de dinheiro.

Como o uso do PIX é feito através dos canais oficiais do seu banco, as operações realizadas por ele são tão seguras quanto qualquer outra operação realizada nos mesmos canais. Por isso, cabem os mesmos cuidados básicos: use apenas os canais oficiais do seu banco, realize qualquer operação apenas dentro do sistema logado, e não insira senhas e/ou outras informações sensíveis fora dos canais oficiais e certificados da instituição financeira em que você tem conta.

Para proteger ainda mais os seus dados pessoais, a opção de chave PIX mais segura é a criação de uma chave aleatória, que pode ser feita diretamente no aplicativo da sua instituição financeira. Assim, na hora de receber uma transferência ou pagamento, você não precisa compartilhar nenhum dado pessoal, como telefone, e-mail ou CPF – apenas a chave PIX.

Quais são as tarifas de uso do PIX?

Atualmente, não existem taxas de uso do serviço para pessoas físicas (ao contrário dos sistemas TED e DOC). Empresas podem ser tarifadas, e as tarifas variam de acordo com o uso do serviço.

Para quais contas o PIX está disponível?

O pagamento instantâneo PIX está disponível para contas chamadas “transacionais”, ou seja, que permitem o uso para fazer pagamentos. Entre as contas transacionais que podem usar o PIX estão as contas corrente, contas poupança e contas de pagamento pré-pagas. Por não serem contas transacionais, o serviço não está disponível para contas salário nem para contas em corretoras de investimentos. 

Em quais dias posso usar o PIX e qual é o limite de transferência?

O PIX está disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana. Sim, isso inclui finais de semanas, feriados e madrugadas – não importa quando, o dinheiro transferido cairá na conta destino em até 10 segundos. O PIX também suporta transferências agendadas, mas essa função depende da decisão da instituição financeira em fornecê-la ou não.

Não existem limites mínimos ou máximos de quantidades de usos diários do PIX para pagamentos e recebimentos, assim como não existem limites mínimos ou máximos de valores em cada transação. As instituições financeiras que disponibilizam o acesso podem estabelecer limites máximos de valor para diminuir os riscos de operações fraudulentas ou para fins ilegais, mas esses limites não podem ser inferiores aos já estabelecidos em outros meios de pagamento, e nem causar uma limitação de uso do sistema PIX de acordo com o perfil e características do usuário pagador.

O sistema PIX chegou como mais um passo para mudar a maneira como lidamos com o nosso dinheiro através da tecnologia, e traz consigo uma série de oportunidades de inovação e facilidades. Se você gostou de saber mais sobre finanças pessoais, confira outros artigos no blog da Bcredi!

Bcredi

A Bcredi é uma fintech que oferece Crédito com Garantia de Imóvel com uma das menores taxas do Brasil, de um jeito descomplicado. Nossos conteúdos te ajudam a entender melhor o universo financeiro e a fazer melhores escolhas com o seu dinheiro!

Visualizar todas as publicações

Um jeito descomplicado de você acompanhar as novidades do nosso blog.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *