Juros de empréstimo: o que é, como funciona e como calcular

Pessoa calculando o juros de empréstimo

Juros de empréstimo… Com certeza, só de ler esse termo, já te deu um arrepio da espinha, e uma leve confusão mental. É uma reação perfeitamente normal, se considerar que esse exato termo afeta tão radicalmente a vida de milhares de brasileiros, que sequer entendem como eles funcionam, como são calculados e como evitar ser pego de surpresa por taxas abusivas.

Mas para você entender um pouco melhor sobre como calcular juros de empréstimo, e quais fatores são levados em conta neste momento, a Bcredi, como uma das instituições com as taxas de juros de empréstimo mais baixas do mercado, vai te explicar tudo o que você precisa saber. Continue lendo e confira!

O que é “juros”

Os juros são valores cobrados em situações como empréstimos, compras a prazo e investimentos, por exemplo, e representam a relação entre o valor emprestado, o tempo que esse valor levou até ser totalmente quitado e o risco da operação. Funcionam como uma espécie de compensação pelo empréstimo em si e pelo tempo que esse valor ficou em possessão do devedor.

Quais tipos de juros existem

Os principais tipos de juros existentes são dois: os juros simples e os juros compostos.

Juros simples

Os juros simples são aqueles cobrados apenas sobre o total do valor emprestado, sem adicionais, aplicado em cada parcela paga. Por exemplo: se você fez um empréstimo de R$ 1000, com juros simples de 5%, é só transformar essa taxa em número decimal (no caso, 0,05) e multiplicar pelo valor do empréstimo:

1000 x 0,05 = 50

E saberá que a cada parcela adiciona-se R$ 50. Para calcular qual o valor total de juros que será pago ao quitar a dívida, basta multiplicar o valor mensal pela quantidade de parcelas – supondo que ela seja 10 meses, a conta fica:

50 x 10 = 500

Ao fim desse empréstimo, o valor total devolvido será de R$ 1500 – sendo R$ 1000 do empréstimo original e R$ 500 de juros. Caso ele seja pago em menos parcelas, o valor final dos juros também diminui, já que ele é aplicado sobre uma quantidade menor de meses.

Juros compostos

Como o nome já sugere, os juros compostos são um pouco mais complicados do que os compostos – mas vamos desvendá-los. Os juros compostos são cobrados sobre o valor inicial do empréstimo e também sobre o valor dos juros cobrados na parcela anterior do pagamento (com exceção da primeira parcela, quando a taxa é aplicada apenas sobre ao valor inicial). Por isso, esse tipo de juros também é conhecido como “juros sobre juros”.

Para calcular, vamos usar os mesmos valores do exemplo anterior: R$ 1000 com 5% de juros.

Primeira parcela:
1000 x 0,05 = R$ 50
Total a pagar: R$ 1050

Segunda parcela:
1000 + 50 (juros da primeira parcela) = R$ 1050
+
1050 x 0,05 = 52,50 (juros da segunda parcela)
=
Total a pagar: R$ 1102,50 (resultado de 1050 + 52,50)

Terceira parcela:
1000 + 52,50 = R$ 1052,50
+
1052,50 x 0,05 = 52,625
=
Total a pagar: R$ 1105,125 (resultado de 1052,50 + 52,625)

E assim por diante, somando o valor inicial do empréstimo com os juros cobrados no mês anterior. Para saber qual será o valor total do pagamento desse empréstimo, é possível usar a seguinte fórmula de juros compostos:
Valor inicial x (1 + taxa de juros) número de parcelas

Na maioria dos empréstimos feitos através de instituições financeiras, os juros cobrados são os compostos, e por isso, o prazo de pagamento do empréstimo influencia diretamente no valor total – quanto menos parcelas, menos juros sobre juros são aplicados.

O valor final de um empréstimo

Além dos juros, o valor total que foi pago ao quitar um empréstimo – também conhecido como o CET, ou Custo Efetivo Total – também inclui alguns outros custos, como o IOF, seguros, tarifas e tributos diversos.

Os seguros, tributos e taxas diversos dependem totalmente da instituição financeira que faz o empréstimo. Já o IOF, ou Imposto sobre Operações Financeiras, é de 0,38% sobre o valor total, com mais uma porcentagem de 0,0082% por dia, que é calculada de acordo com o prazo de pagamento. Por isso, é essencial escolher com cuidado a instituição e o tipo de empréstimo a ser feito, para escolher uma alternativa que seja a mais vantajosa ao final dos cálculos, e evitar pegar um empréstimo que saia muito mais caro do que deveria.

Conheça diferentes taxas de juros de empréstimo disponíveis no mercado.

A taxa de juros da Bcredi

Aqui na Bcredi, temos muito orgulho de informar que cobramos a menor taxa de juros de empréstimo do mercado: 0,75% ao mês. Isso é possível porque nós oferecemos um tipo de empréstimo com muito menos risco: o empréstimo com garantia de imóvel.

Ele funciona de maneira simples: você apresenta um imóvel como garantia de pagamento, e consegue o seu empréstimo, em valores a partir de R$ 30 mil até R$ 4 milhões. O imóvel pode ser residencial ou comercial, e você não deixa de ser o dono dele, podendo até mesmo reformar ou alugar enquanto paga o empréstimo.

Isso é possível através da alienação fiduciária, que transfere a posse indireta do imóvel para a instituição financeira, para garantir o pagamento do empréstimo, mas a posse direta ainda é mantida pelo proprietário original.

O crédito com garantia de imóvel da Bcredi é de uso livre, ou seja, não é necessário comprovar para o que ele será usado, e permite que você realize diversos dos seus sonhos: abrir ou expandir o próprio negócio, investir em uma franquia, fazer aquela viagem dos sonhos, reformar ou construir o seu imóvel e muito mais.

Faça a sua simulação de empréstimo online e saiba mais sobre como o CGI da Bcredi pode ser a opção perfeita para você.

Bcredi

A Bcredi é uma fintech que oferece Crédito com Garantia de Imóvel com uma das menores taxas do Brasil, de um jeito descomplicado. Nossos conteúdos te ajudam a entender melhor o universo financeiro e a fazer melhores escolhas com o seu dinheiro!

Visualizar todas as publicações

Um jeito descomplicado de você acompanhar as novidades do nosso blog.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *