Independência entre bancos e fintechs: uma boa notícia para o seu bolso

Bcredi Fintech
Bcredi

18 de junho de 2018

Atualizado em: 6 de setembro de 2019

Em abril, o Banco Central e o Conselho Monetário Nacional regulamentam as fintechs que oferecem crédito. Para o consumidor, o grande impacto da mudança está na segurança e na possibilidade da aceleração da queda dos juros com o aumento da concorrência.

Fintech vem da junção das palavras FINancial (financeiro) + TECHnology (tecnologia). É o nome usado para descrever as novas empresas do setor financeiro que usam a tecnologia para aperfeiçoar e oferecer produtos na área de uma forma inovadora. Muitas delas não têm nem agência: os clientes resolvem tudo online, sem sair de casa.

Nessas startups, a tecnologia é utilizada para trazer conveniência por meio da inovação, criando ferramentas que facilitem o acesso a serviços financeiros. Essas inovações tornam os serviços financeiros (como cartões de crédito e débito, empréstimos, investimentos, etc.) mais eficientes, transparentes, baratos, seguros.

O resultado desse esforço aparece para o consumidor na forma de praticidade, burocracia reduzida, custos baixos e mais controle sobre operações financeiras.

Empréstimo online ainda mais barato

Até abril de 2018, as fintechs que oferecem crédito, como a Bcredi, dependiam de parceria com uma instituição financeira, geralmente um banco tradicional, para fazer seus contratos de empréstimo. Desde então, o Banco Central e o Conselho Monetário Nacional (CMN) mudaram a regulamentação para atuação do setor. Agora, essas empresas podem se registrar como instituições financeiras de atuação mais limitada. Ou seja, podem conceder crédito sem mediação dos bancos. A medida deve elevar a concorrência no setor financeiro.

A mudança tornou ainda mais seguro o empréstimo realizado pelas fintechs, já que agora elas também são regulamentadas. Além de mais segurança para o consumidor, o grande impacto da mudança está também na possibilidade de que a competição traga mais descontos nas taxas de juros de empréstimos e financiamentos. Sem os bancos por trás, você pode entrar no site de uma fintech e emprestar dinheiro de uma instituição mais enxuta. Isso deixa o processo mais ágil e diminui os custos de integração com terceiros, permitindo às fintechs oferecer crédito com taxas de juros mais flexíveis que a dos grandes bancos.

Livre concorrência nas taxas de juros

A expectativa de empresas do setor e do Banco Central é que a regulação das fintechs aumente também a competição na oferta de crédito, puxando os juros para baixo por meio da livre concorrência.

Isso porque a nova regra aumenta a competitividade dessas instituições financeiras menores. Com mais crédito disponível no mercado, a tendência é que a diferença entre o valor que os bancos pagam e o que eles cobram para emprestar dinheiro diminua.

Confira o infográfico abaixo e entenda as principais características das fintechs.

fintech

Bcredi

A Bcredi é uma fintech que oferece Crédito com Garantia de Imóvel com uma das menores taxas do Brasil, de um jeito descomplicado. Nossos conteúdos te ajudam a entender melhor o universo financeiro e a fazer melhores escolhas com o seu dinheiro!

Um jeito descomplicado de você acompanhar as novidades do nosso blog.

Comentários

Uma resposta para “Independência entre bancos e fintechs: uma boa notícia para o seu bolso”

  1. […] Esse comportamento mostra que o consumidor quer otimizar o seu tempo e cumprir as suas atividades sem complicação, de maneira fácil e rápida. Para trazer ainda mais facilidades, as fintechs surgiram para aliar tecnologia aos serviços financeiros. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *