Empreendedorismo feminino: veja como o sonho da Viviane ajuda e inspira mulheres em Paraisópolis

Com o empréstimo da Bcredi, a empresária ampliou seu centro de estética, localizado numa das maiores favelas do Brasil, e apoia outras mulheres a terem mais autonomia e valorizarem sua beleza.

Você provavelmente já ouviu a expressão “empoderamento feminino”. Mas, você sabe o que isso significa? Empoderar quer dizer emancipar, dar condições de independência, igualdade de direitos, liberdade de escolha e devolver a auto estima a mulheres muitas vezes marginalizadas. Mas… o que isso tem a ver com a economia? E com empréstimo? Essa ligação é extremamente importante, uma vez que ter mais oportunidades de renda é um dos principais meios para viabilizar essa transformação, por meio também do empreendedorismo feminino. 

Por isso, quando falamos que o propósito da Bcredi é transformar a economia do Brasil com um crédito saudável, estamos nos referindo à capacidade que um empréstimo, cedido em condições justas, tem de aumentar as oportunidades para que os brasileiros empreendam, cresçam e tenham condições de acreditar na realização dos seus sonhos. Esse propósito se consolida ainda mais na celebração do Dia do Empreendedorismo Feminino, no próximo dia 19 de novembro. A data foi criada pela ONU como forma de estimular esse ambiente e apoiar mais mulheres na abertura e liderança de novos negócios

Quem também se identifica com esses valores é Viviane Chiapetta, que fez do seu sonho uma ferramenta de desenvolvimento social e capacitação de mulheres na favela de Paraisópolis, em São Paulo. No bairro moram atualmente mais de 42 mil pessoas e as vielas e casas simples fazem fronteira com os bairros mais ricos da capital, como o Morumbi. A convivência com a precariedade das ruas e dos serviços públicos não passa longe do preconceito e da falta de oportunidades

>> Conheça o crédito mais saudável do mercado, com parcelas que você pode pagar!

Vivi e suas colaboradoras no Centro de Estética em Paraisópolis.

Há quatro anos, Vivi enxergou a oportunidade de abrir o próprio negócio, mas também encarou o desafio de empoderar mais mulheres através da beleza e do trabalho. Viviane é natural de Santos, no litoral paulista, tem 35 anos e há 20 trabalha com estética. No início, ela atendia clientes em clínicas dermatológicas especializadas e particulares, mas, quando se mudou com seu marido para São Paulo, se deparou com um choque de realidade. 

Ela passou a trabalhar numa clínica em Moema e sua casa ficava logo ao lado de Paraisópolis, era o último condomínio antes de entrar na comunidade. “Quando minha situação financeira ficou um pouco mais apertada, fui fazer minhas unhas em um salão da comunidade. Aos poucos fui ficando amiga da dona do salão e passei a ser cliente assídua. Assim comecei a conhecer a comunidade e as mulheres de lá”, relembra.

Com o passar do tempo, Viviane atendeu algumas clientes naquele salão, com os serviços de design de sobrancelhas e micropigmentação. Porém, o espaço não era adequado para dar o mesmo tratamento que ela oferecia nas clínicas. “As mulheres de lá queriam receber o mesmo tratamento dos salões chiques dos outros bairros. Elas se sentiam isoladas socialmente, era como se o bom atendimento fosse apenas para as patroas delas”, pondera. 

Eu digo que utilizei esse sonho [da casa própria] para investir em um sonho ainda maior, que é dar atenção, respeito e oportunidade para essas mulheres. Meu sonho passou a ser o sonho delas. Com a reinauguração esse sonho só vai crescer”.

Foi assim que Vivi encarou esse desafio, superou os preconceitos e passou a cuidar das clientes em Paraisópolis. “Eu não mudei nada do meu atendimento. Era o mesmo serviço, com os mesmos produtos e a mesma qualidade”, conta. Com toda essa atenção e dedicação, mais clientes queriam contar com seus serviços e ela começou a pensar em abrir o próprio salão.

Na época, Viviane optou pelo empréstimo consignado direto com o banco, de um valor relativamente baixo e com desconto direto na folha de pagamento do marido. Isso porque eles ainda não tinham quitado a casa própria. “Esse dinheiro foi apenas para começar o atendimento. Eu inaugurei o salão sozinha. Todos os dias era eu que abria a porta, recepcionava as clientes, fazia as sobrancelhas e ainda limpava tudo no fim do dia”, conta. 

Vivi se dedica a capacitar suas colaboradoras para um atendimento mais acolhedor.

Ela lembra também que já nos primeiros dias de funcionamento do Espaço Vivi Chiapetta Clínica de Sobrancelhas as pessoas entravam admiradas e algumas até se sentiam emocionadas. Mesmo com a simplicidade do lugar, as mulheres agradeciam e diziam que não parecia que estavam na favela. “Muitas me disseram obrigada por acreditar que a gente merece esse tratamento especial. Recebi um carinho que eu nem imaginava”.

Logo em seguida, com o aumento do movimento, ela precisou contratar sua primeira assistente e, quando percebeu, já estava se tornando uma referência na comunidade. Uma característica da Viviane que reforça ainda mais o propósito de apoio ao empoderamento das mulheres foi a oferta de treinamentos às novas colaboradoras. “Elas já vêm com formação técnica, oferecida pela instituições de Paraisópolis, mas além desse conhecimento, eu comecei a falar com elas sobre como tratar o próximo, com cordialidade, como servir os outros”. 

Nesse sentido, a capacitação humanística, para além da técnica, também é um instrumento de empoderamento feminino e transformação social, uma vez que permite a troca de experiências entre as pessoas da comunidade, amplia o conhecimento e o respeito sobre o outro, fortalece laços e fomenta um ambiente de confiança para a realização de sonhos. “Só consegue fazer isso quem tem essa semente dentro de si, eu apenas reguei esse sentimento”, filosofa a empreendedora.

Com esse toque de atuação social e a consolidação do pertencimento na comunidade, o que no começo era apenas uma salinha comercial, começou a crescer. Viviane alugou outras casas que ficavam na mesma viela do salão e fez algumas reformas para expandir o negócio. “Agora que a empresa já está consolidada e temos reconhecimento dentro da comunidade, as clientes vêm a nossa procura. Eu não estava mais conseguindo atender a demanda e hoje já tenho 8 colaboradoras”, comemora. 

Vivi mostra orgulhosa toda a reforma do espaço pelas redes sociais.

“Para continuar, eu precisava de novas prestadoras. Para ter novas prestadoras, eu precisava de um espaço físico maior. Então eu precisava de dinheiro para fazer a reforma, comprar novos mobiliários, fazer novas contratações e também investir em marketing. Precisei dar mais holofotes ao que a gente estava fazendo”, se entusiasma. 

Logo que Viviane e o marido quitaram a casa onde moram, procuraram a Caixa para fazer o refinanciamento. “Com os valores e taxas na mão eu comecei a fazer pesquisas”, aponta. E foi durante essas pesquisas que ela conheceu a Bcredi, pelas redes sociais. “Entrei em contato com vocês e com outras empresas parecidas. O atendimento foi muito bom desde o começo, então a Bcredi foi a que me passou mais confiança”, afirma.

Vivi conta que o processo foi bem ágil e as taxas foram realmente as melhores do mercado. “A Camila [consultora de crédito da Bcredi] sempre foi muito solícita e fez o possível para me deixar segura. Ela também me orientou no que eu precisava fazer, porque a escritura da minha casa ainda não estava no nosso nome. Algumas etapas foram um pouco mais demoradas, mas ela sempre me explicou tudo e me auxiliou”.

Essas orientações foram fundamentais para que Viviane ficasse tranquila com a contratação do crédito. “Eu estava com medo, pois ainda não conhecia a empresa e estava deixando como garantia minha própria casa. Ela me mandou até fotos do escritório e eu percebi que a Bcredi tinha os mesmos valores que eu. Eu não era apenas um número, uma empresa. Eu gero valor na vida de muitas mulheres e vocês valorizaram isso”. 

No próximo dia 15 de novembro, o Espaço Vivi Chiapetta Clínica de Sobrancelhas terá uma festa de reinauguração, para comemorar a nova fase da empresa. Com serviços de design e micropigmentação de sobrancelhas, manicure, pedicure, corte e pintura de cabelo, entre outros procedimentos estéticos. Além da ampliação do espaço, o crédito da Bcredi ajudou na compra de novo mobiliário, equipamentos de climatização e numa nova decoração para o salão.

“O maior sonho da maioria das pessoas é ter uma casa própria. Eu digo que utilizei esse sonho para investir em um sonho ainda maior, que é dar atenção, respeito e oportunidade para essas mulheres. Meu sonho passou a ser o sonho delas. Com um bom emprego e também com o atendimento que oferecemos, podemos movimentar a vida de outras mulheres na comunidade. Com a reinauguração esse sonho só vai crescer”.

Um jeito descomplicado de você acompanhar as novidades do nosso blog.

Comentários

Uma resposta para “Empreendedorismo feminino: veja como o sonho da Viviane ajuda e inspira mulheres em Paraisópolis”

  1. Alane disse:

    Parabéns Vivi, você merece isso é muito mais, pela pessoa maravilhosa que você é, te desejo cada dia mais sucesso!!! ❤❤❤

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *