Depressão por causa de dívidas pode ter solução

Você está sem dinheiro para pagar as dívidas e tem sofrido com isso? Saiba se você está com sintomas de depressão e entenda como a solução pode estar aí, pertinho de você.

Provavelmente você já se viu em situações de estresse e ansiedade relacionadas a dinheiro, ou à falta dele. São as ligações de credores querendo saber quando aquela conta será paga, a possibilidade da luz ser cortada a qualquer momento por falta de pagamento, ou então aquela angústia por não conseguir ver uma luz no fim do túnel com as dívidas se acumulando.

Quem está endividado pode sofrer com ansiedade, estresse e a pressão por não estar com as contas em dia. Em muitos casos, pessoas chegam a ter depressão por causa de dívidas, já que a questão financeira influencia totalmente a saúde mental, a rotina da família, o cotidiano e também os planos para o futuro.

Com a economia frágil no país, está cada vez mais comum encontrar pessoas com desânimo por falta de dinheiro, fazendo contas que não fecham. Isso pode acontecer porque o salário não cobre todas as despesas básicas ou porque um empreendedor não consegue pagar suas contas e seus funcionários pelo baixo faturamento.

Esses problemas causados pelo endividamento tiram a tranquilidade e o sono de qualquer um. O importante é entender que existe solução para as dívidas e que, com planejamento e disciplina é possível pagar as contas e voltar a respirar aliviado. Neste artigo vamos te dar alguma dicas!

Inadimplência no Brasil

Em abril de 2020, a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor aponta que 66% dos brasileiros possuem dívidas e que 77% delas são com o cartão de crédito. Além do cartão, o uso do cheque especial, as parcelas de financiamentos e empréstimos, agravam a situação, já que geralmente têm taxas de juros muito altas.

Mais da metade dos inadimplentes têm entre 30 e 39 anos. De acordo com o Serviço de Proteção ao Crédito no Brasil, é justamente nessa fase da vida em que a corrida ao crédito acaba sendo inevitável, pois muitos já constituíram família, possuem filhos e assumem mais compromissos financeiros. Em um momento de crise, pode ser difícil equilibrar o orçamento se não houver controle e disciplina.

Que tal trocar suas dívidas caras por uma mais barata?
Use nossa calculadora para Trocar Dívidas e entenda como isso é possível!

Problemas causados pelo endividamento

As consequências do endividamento são grandes, podendo ocasionar a perda de um patrimônio, a venda de bens para quitação da dívida, além do pagamento de juros altos e multas, o que faz com que uma dívida que pode ter começado pequena, se torne uma verdadeira bola de neve.

A partir do momento em que a pessoa tem o nome negativado em um cadastro de restrição de crédito, como o Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), as chances dessa pessoa conseguir crédito novamente diminuem, fazendo com que o problema causado pelo endividamento e cobranças só aumente.

Recebendo cobranças, vendo sua credibilidade no mercado diminuir e vivendo com uma constante sensação de estresse e preocupação com as dívidas, doenças mais sérias podem aparecer. É aí que o perigo começa!

Sintomas da depressão

Em 2016, a USP fez uma pesquisa com pessoas que tinham dívidas pendentes. O resultado mostrou que 80% dos entrevistados sofriam com ansiedade e depressão por causa de dívidas. Se o país tem cerca de 63 milhões de endividados, praticamente 50 milhões de pessoas sofrem com a doença e isso se reflete em uma série de problemas no dia a dia.

Para entender mais sobre o tema, conversamos com a psicóloga Denilse Cunha, do Espaço Terapêutico Viva o Hoje. Segundo ela, “os principais sintomas presentes nas pessoas depressivas com a questão de endividamento são insônia, aumento da pressão arterial, mudanças de humor e também conflitos familiares, já que a questão financeira engloba muito o bem-estar e a vida social”.

Denilse ainda comenta que “o corpo fala e vai dando sinais. Quando a pessoa está endividada e as cobranças começam, isso vai gerando um estresse que, se não cuidado, vai gerar uma ansiedade maior, desencadeando em sentimentos de tristeza. Muitas vezes, a pessoa não percebe isso e só nota quando começa a se isolar ou a não querer mais sair de casa. Cada organismo reage de um jeito diferente, mas uma pessoa endividada tem, sim, mais chances de ter depressão”.

A psicóloga ainda comenta que outras doenças também podem se desenvolver, isso porque “muitas pessoas chegam também com úlceras, vindo por encaminhamento médico. Elas desenvolvem a doença devido ao estresse e ansiedade gerados pelo fato de não conseguirem pagar uma dívida, de sempre estarem enroladas, de não conseguirem se organizar para pagar e não terem condições de se restabelecer”.

Denilse explica que “as chances de uma pessoa com baixa autoestima ter problemas financeiros também é grande, já que muitas vezes esses indivíduos desencadeiam processos de compulsão por compras, no qual a pessoa não se organiza e não planeja seu orçamento, querendo ter um status que não é seu para compensar esse problema”.

Como sair das dívidas

Para evitar o efeito “bola de neve”, o ideal é priorizar o pagamento de dívidas com os juros mais elevados, que geralmente são as dívidas bancárias e do cheque especial. Nesse momento vale a pena negociar o pagamento do saldo devedor, seja para baixar os juros ou para parcelar.

Quando você tem dinheiro à vista para quitar dívidas, essa negociação é muito mais fácil. Por isso, avalie a possibilidade de utilizar o seu imóvel como ativo financeiro. Com um empréstimo com garantia imobiliária, você consegue taxas e parcelas menores.

Com dinheiro na mão, negocie o pagamento das suas dívidas, começando pelas de juros maiores. Com o tempo você vai sentir o alívio no seu bolso e poderá voltar a se organizar e se planejar melhor para que as dívidas não se acumulem novamente.

Quer entender como um empréstimo pode ser uma boa solução para o seu problema? Conheça a história do Celso Ricardos, que trocou várias dívidas caras por um parcelamento mais barato de empréstimo. Além de conseguir negociar o pagamento à vista e ter melhores condições, a parcela mensal comprometida com o crédito caiu pela metade.

Que tal trocar suas dívidas caras por uma mais barata?
Use nossa calculadora para Trocar Dívidas e entenda como isso é possível!

Como não se endividar

Para não se endividar, o primeiro passo é aprender mais sobre educação financeira e descobrir que cuidar do seu dinheiro não é tão complicado quanto imagina. A partir do momento que você passa a ter uma relação saudável com suas finanças pessoais, fica mais fácil gerenciar seu orçamento.

Para te ajudar nessa tarefa, confira a checklist de boas práticas de educação financeira. Assim, você vai aprender boas práticas de orientação financeira que refletem no seu dia a dia e também no planejamento mensal, além de garantir melhor o controle de gastos e contas.

Bcredi

A Bcredi é uma fintech que oferece Crédito com Garantia de Imóvel com uma das menores taxas do Brasil, de um jeito descomplicado. Nossos conteúdos te ajudam a entender melhor o universo financeiro e a fazer melhores escolhas com o seu dinheiro!

Visualizar todas as publicações

Um jeito descomplicado de você acompanhar as novidades do nosso blog.

Comentários

4 respostas para “Depressão por causa de dívidas pode ter solução”

  1. ivone camassola disse:

    Preciso de din pra pagar minhas dívidas estou doente já por não conseguir pagar

    • Bcredi disse:

      Olá Ivone, tudo bem? Calma que com a gente o crédito é descomplicado de verdade! Para que possamos te ajudar, pedimos que faça uma simulação em nosso site. É só clicar aqui http://bit.ly/Descomplica-Ai. Assim, teremos mais informações sobre você e seu imóvel para oferecer a melhor proposta. Se preferir, também é possível falar com a gente através do número (41) 3535-3655 ou e-mail contato@bcredi.com.br 🙂

  2. Gilmar caetano da Silva disse:

    Preciso de ajuda p pagar dividas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *