Como funciona o crédito rotativo e como pagar a dívida do cartão?

ilustração de pessoas com cartão de crédito e dívida no rotativo

Entenda como funciona a dívida do cartão de crédito, que tem uma das maiores taxas de juros do mercado, e veja como é possível aliviar seu bolso.

Os brasileiros estão com dificuldades para pagar suas contas em dia e quitar dívidas pendentes. Esse é o resultado da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, realizada pela Confederação Nacional do Comércio (CNC). Os dados apontam que, em junho de 2020, o endividamento da população alcançou novo recorde histórico. 

Estima-se que cerca de 66% das famílias possuem dívidas, sendo que em 76% dos casos, a dívida é com o Cartão de Crédito. Não é à toa que ele pode ser considerado um grande vilão da saúde financeira de muitas pessoas. Isso porque muitos acabam gastando além do que podem pagar e entram no chamado crédito rotativo.

Neste artigo nós vamos te explicar em detalhes como funciona o crédito rotativo, qual a diferença para o crédito parcelado e algumas dicas para você quitar a dívida com o cartão de crédito e aliviar seu bolso!

O que é o crédito rotativo?

O crédito rotativo é a linha de crédito pré-aprovada no cartão para os clientes que não conseguem efetuar o pagamento total da fatura. Quando você paga apenas o valor mínimo da conta do cartão de crédito, você está contraindo um empréstimo sobre o saldo devedor.

O que muitas pessoas não sabem é que esse é um dos piores tipos de endividamento, já que a taxa de juros incidente sobre o valor devido é uma das mais altas do mercado. Para se ter uma ideia, a taxa de juros do crédito rotativo em maio de 2020 chegou a 12,3% ao mês, ou 244,5% ao ano, para clientes chamados regulares, de acordo com o Banco Central.

Apesar dos juros serem extremamente altos, em abril de 2017, o Banco Central do Brasil proibiu que os bancos financiem esse crédito rotativo por mais de 30 dias. Na prática, isso significa que, após um mês de dívida, seu empréstimo entrará na modalidade parcelada. A gente te explica melhor. 

Qual a diferença entre o crédito rotativo e o parcelado?

Antes dessa nova norma do BC, todo mês que você optasse por fazer o pagamento mínimo da fatura, ou qualquer outro valor que não fosse a fatura inteira, automaticamente caia no rotativo. Se você sempre pagasse um valor abaixo do total, caía novamente no rotativo, pagando cada vez mais juros.

Hoje, não é mais possível pagar o valor mínimo da fatura (15% do valor total) por vários meses seguidos. Se o saldo devedor não for quitado novamente pelo segundo mês consecutivo, o banco é obrigado a oferecer uma opção de parcelamento da dívida, com juros menores que o rotativo.

Porém, isso nem sempre acontece. Isso porque os bancos diferenciam os “clientes regulares” que fazem o pagamento mínimo da fatura, dos “clientes não regulares” que não efetuam nenhum pagamento das faturas. No primeiro caso, os juros do crédito parcelado são atualmente de 137,9% ao ano, para o segundo tipo de clientes, chega a 335,8% ao ano. 

Já deu para perceber que o cartão de crédito é uma dívida extremamente cara e perigosa, né? Isso porque os juros são muito altos e o não pagamento leva a dívida a ficar cada vez maior, uma verdadeira bola de neve. 

Qual a diferença de juros entre o crédito rotativo e o crédito parcelado?

As taxas de juros do cartão de crédito variam de acordo com a instituição financeira, o que leva a uma diferença bastante significativa entre os juros de um banco a outro. Consulte a página completa do Banco Central para consultar o seu banco. 

Na tabela a seguir, a gente te mostra um comparativo das taxas de juros do cartão de crédito tendo como mês de referência maio de 2020. Nós te apresentamos os valores referentes à média das taxas cobradas.

Juros ao mêsJuros ao ano
Crédito Rotativo12,33%244,5%
Crédito Parcelado7,49%137,9%

Como quitar as dívidas do cartão de crédito?

Uma coisa que já deve ter ficado bastante clara é que pagar o valor mínimo da fatura do cartão não adianta e só piora a sua dívida! O primeiro passo para resolver o problema é saber exatamente quanto você está devendo no total, considerando todos os juros e correções. 

Depois disso, uma boa pedida é trocar essa dívida por uma dívida mais barata, como um empréstimo pessoal, e então entrar em contato com o banco para negociar sua dívida. Lembre-se: quitar cartão de crédito tem desconto na dívida total, sim! Basta negociar direitinho.

Troque o Crédito Rotativo pelo Crédito com Garantia de Imóvel

O empréstimo com imóvel em garantia permite acessar valores maiores, então você consegue quitar suas dívidas e investir como quiser. Mesmo que parece estranho buscar um empréstimo para pagar uma dívida, lembre-se que você está trocando os juros altos do cartão de crédito por um crédito mais saudável e que não vai pesar no seu bolso. 

No CGI a taxa de juros é bem mais baixa, a partir de 0,99% ao mês e você tem prazos maiores para pagamento, de até 180 meses. Assim, a parcela fica mais barata e você pode organizar sua vida financeira. 

Para que seu empréstimo seja ainda mais facilitado, procure as fintechs como a Bcredi. Elas são empresas financeiras com alta base tecnológica e conseguem oferece mais flexibilidade na contratação do empréstimo. Assim, é possível compor renda com mais pessoas e também apresentar um imóvel de terceiro para conseguir o crédito. Gostou da ideia? Entre em nosso site e faça uma simulação.

Bcredi

A Bcredi é uma fintech que oferece Crédito com Garantia de Imóvel com uma das menores taxas do Brasil, de um jeito descomplicado. Nossos conteúdos te ajudam a entender melhor o universo financeiro e a fazer melhores escolhas com o seu dinheiro!

Visualizar todas as publicações

Um jeito descomplicado de você acompanhar as novidades do nosso blog.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *