Crédito consciente: ajude a [sua] economia pagando menos pelo crédito

Crédito consciente: ajude a [sua] economia pagando menos pelo crédito
Julia Broens

21 de fevereiro de 2018

Atualizado em: 30 de setembro de 2019

Entender como funcionam as linhas de crédito e como elas podem ser utilizadas para tornar o uso do crédito uma prática sustentável e consciente para a economia do país.

Com o crescente acesso democratizado à informação, é normal que encontremos fontes confiáveis e mitos. Um destes mitos, é justamente sobre o uso consciente das diferentes modalidades de crédito. Há quem diga que somente o cartão de crédito possui uma taxa de juros confiável, que empréstimos são perigosos e viram bolas de neve rapidamente, ou que o único meio de se guardar dinheiro de maneira rentável e segura, é através de uma poupança em um banco de renome, com vários anos de existência. 

A verdade, é que quando se trata de finanças, é imprescindível que haja muito estudo na área para poder falar o que é melhor ou não para alguém, pois isso pode variar de acordo com a realidade de cada um. Isso atuará diretamente na desconstrução desses inúmeros mitos, pois irá disseminar o conhecimento necessário para esse processo. Para isso, primeiro precisamos entender primeiro o que são as linhas de crédito e quais são as principais.

O que são linhas de crédito e como funcionam?

Uma Linha de Crédito é o total de recursos que uma instituição financeira (seja um banco ou uma fintech, como a Bcredi) pode oferecer, por meio de um empréstimo, à pessoas físicas e jurídicas. Existem uma série de outras linhas especiais destinadas a públicos específicos.

Ao contratar qualquer linha de crédito, destina-se parte da renda futura ao banco ou agente financeiro que fez o empréstimo. No Brasil, as operações de crédito mais usadas são aquelas com altas taxas de juros. Isso faz com que uma boa parte da renda e capacidade financeira dos brasileiros esteja concentrada em dívidas, o que onera a economia do país.

As principais linhas de crédito disponíveis no Brasil, são:

  • CDC: o Crédito Direto ao Consumidor é comumente utilizado para compra de bens materiais e alguns serviços, como carros, móveis e até para pagamento de cursos. Geralmente, o contrato é feito em uma rede de varejo que possua parceria com algum banco ou financeira.

  • Crédito Pessoal: é o famoso empréstimo, e é a modalidade que permite ao consumidor a aquisição de qualquer bem, seja material ou não, na condição que preferir, sem justificar previamente para solicitação, ao contrário de um financiamento de imóvel ou veículo.

  • Crédito Imobiliário: como falamos anteriormente, é o financiamento concedido por uma instituição financeira para a aquisição de um imóvel, e possui condições específicas de acordo com a análise de crédito e objetivo de aquisição.

  • Cheque Especial: é aquele limite que fica atrelado à sua conta-corrente no banco, que tem como objetivo a cobertura de qualquer imprevisto. Porém, possui um dos maiores juros do mercado e não é aconselhado que se use esse limite. Outras opções como o empréstimo são mais economicamente viáveis.

  • Crédito Estudantil: consiste do crédito concedido por uma instituição financeira ou educacional para financiamento de um curso, podendo ser superior, tecnólogo ou até mesmo de pós-graduação. É uma opção que viabiliza a graduação de muitas pessoas e possui condições de pagamento que se adequam às necessidades do seu contratante.

  • Cartão de Crédito: muitas vezes considerado um vilão em todo processo de reeducação financeira, sabemos que na verdade ele pode acabar se tornando um aliado. Concedido por instituições financeiras após uma análise de perfil e de crédito, essa ferramenta pode facilitar muito a aquisição de bens a médio-longo prazo. Se usado com cautela, pode se tornar um grande aliado no seu dia-a-dia.

  • Empréstimo Consignado: essa é a modalidade que desconta as parcelas do empréstimo diretamente da folha de pagamento do solicitante. Geralmente, há condições especiais para servidores públicos por conta da estabilidade de cargo.

Com estas linhas de crédito, é possível realizar a aquisição de um bem material ou uma reforma a muito tempo planejada, de maneira facilitada. Os juros gerados através destas operações financeiras são a maneira que as instituições possuem de garantir seu lucro.

Como utilizar as linhas de crédito de maneira consciente?

Agora que você já sabe as principais linhas de crédito disponíveis no mercado, é importante que saiba como escolher qual delas deve escolher, e qual se encaixa melhor no seu momento. O uso consciente destas linhas de crédito atuam diretamente na economia do país; com menos pessoas endividadas, maior será a demanda para o comércio, que por sua vez, demandará mais da indústria, possibilitando mais empregos e uma economia sustentável, elevando a qualidade para todos. Separamos algumas dicas de como utilizar crédito de maneira consciente:

1 – Pesquise

Parece óbvio, mas ter certeza de que está fazendo um bom negócio depende muito de uma pesquisa bem feita com todas as opções disponíveis no mercado. Faça diferentes simulações, estresse todas as possibilidades e contrate aquela que lhe ofereça maior segurança. Esse é um momento que exige paciência para evitar qualquer transtorno futuro.

2 – Escolha o melhor crédito para o seu bolso

Com tantas opções, é muito fácil acabar escolhendo uma que não seja tão boa para seu bolso. Nesse momento, é importante olhar além das taxas de juros; deve-se olhar também para as condições de pagamento, quais os benefícios ao se antecipar parcelas e qual é o suporte dado pela instituição. Além disso, esse crédito não pode contar como um complemento da sua renda e deve-ser tratado como uma despesa isolada. 

3 – Busque orientação

Antes de simplesmente contratar um crédito, aconselhamos que você busque orientação profissional antes de tomar qualquer atitude. Como já falamos, a contratação de um crédito pode se tornar tanto um aliado, quanto um vilão nas suas finanças. Uma análise mais especializada sobre a situação pode lhe ajudar a decidir se esse realmente é o momento exato para assumir mais uma despesa.

Uma boa saída para quem já possui um imóvel, é realizar a contratação de um empréstimo com garantia de imóvel. Essa solução não só possui melhores taxas, como também possui aprovação rápida e sem burocracia excessiva. Esse é o tipo de crédito consciente que, além de te ajudar em algum momento de imprevistos ou até mesmo em um planejamento futuro, ajuda a fomentar a economia do país. Todo mundo sai ganhando.

Também vale lembrar que, por se tratar de um processo que envolve a educação financeira, é importante que você dê uma lida no nosso texto sobre reorganização de orçamento familiar. Disponibilizamos uma planilha pra te ajudar a organizar as finanças!

Veja o caso dos Estados Unidos: o volume total de crédito disponível para pessoas físicas é 35 vezes maior do que no Brasil. Quando olhamos apenas para a oferta de crédito imobiliário, que tem taxa de juros reduzida, a diferença é gritante: a cada U$ 1 em crédito imobiliário disponível para o brasileiro, há U$ 76 para o americano. No entanto, a parte da renda dos brasileiros comprometida com o pagamento de dívidas é mais que o dobro da fatia que os americanos destinam para o mesmo fim.

O que isso nos mostra? Que um crédito saudável gera uma economia mais saudável. Não é a oferta de crédito que gera endividamento, e sim a contratação de créditos caros pelo consumidor, com juros altos e pouco prazo. Por isso, aposte em soluções práticas e transparentes, como a própria Bcredi, que tem como objetivo democratizar as linhas de crédito e facilitar a vida de quem pretende expandir seus objetivos. E nada melhor que ouvir de quem mudou sua vida com a Bcredi, como é a história da Liana, que realizou seu sonho de maneira rápida e prática.

Pagar menos pelo crédito contratado é apenas questão de conhecimento, e esperamos que a partir de agora, você saiba como economizar e progredir ao mesmo tempo. Não esqueça: conte sempre com a Bcredi para o que precisar. Te esperamos na próxima!

Compare o crédito na fintech e o crédito no banco tradicional

Julia Broens

Seguidora fiel do mundo financeiro, de inovação e tecnologia, escrever sempre foi uma das minhas grandes paixões. Sou formada em Comunicação Organizacional e acredito que a boa comunicação é fundamental para descomplicarmos o universo financeiro

Um jeito descomplicado de você acompanhar as novidades do nosso blog.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *