Consórcio para capital de giro, como funciona?

Descubra agora se o consórcio para capital de giro é possível, se funciona e quais as possibilidades que você tem para conseguir levantar esse recurso da melhor forma possível. Confira agora e planeje seu futuro! 

Com a economia sempre instável e passando por altos e baixos, é comum que empresários tenham um pouco de receio em investir no seu negócio. O problema é que toda empresa precisa de capital de giro para sobreviver, independentemente do período e dos problemas que permeiam a economia mundial e brasileira. 

Nesse sentido, surgem diversas dúvidas a respeito de como levantar dinheiro para o capital de giro, principalmente se pensarmos em formas seguras, que não estanquem a ampliação do negócio e nem comprometam os investimentos já planejados. Na busca por essas alternativas, muitas pessoas acreditam na aquisição de consórcio para capital de giro, o que é um grande engano compartilhado por muitas pessoas. 

Esta é uma solução segura para quem busca conquistar produtos ou serviços, como um imóvel, por exemplo, uma vez que o dinheiro pode ser levantado de forma rápida quando há a compra de uma carta contemplada. Mas há muito mais a desvendar a respeito desse assunto e se ele pode ser utilizado para angariar recursos para o capital de giro da sua empresa.

O capital de giro é importante para que o gestor ou o proprietário tenha maior controle do fluxo de caixa – e, claro, sem precisar comprometer o orçamento com os juros dos empréstimos convencionais para empresas.

Antes de tudo, no entanto, é preciso entender que capital de giro compreende os recursos necessários para a abertura, a gestão e o funcionamento geral de uma empresa no dia a dia. Isso pode incluir a manutenção do estoque, o pagamento de impostos, a contratação de pessoal e os valores necessários para salários e aluguel, por exemplo. 

Por conta disso, uma empresa sem capital de giro não sobrevive, estando bastante vulnerável aos problemas da economia e acabando por precisar fechar as portas. 

Baixe o infográfico e veja o passo a passo para contratar o seu empréstimo online

Importante lembrar que cada empresa precisa de uma quantia específica de capital de giro para um funcionamento seguro e saudável. Só assim é possível buscar os recursos de uma forma segura e sem precisar arcar com os juros pesados das linhas de crédito convencionais. 

Se sua empresa está precisando de recursos e você quer entender melhor sobre a possibilidade do consórcio para capital de giro, acompanhe este post. Explicaremos tudo o que você precisa saber para escolher a melhor opção e se arriscar menos. Confira!

O que é consórcio?

Muitas pessoas falam que os consórcios são formas de poupar dinheiro em grupo. Isso porque ele é a união de diversas pessoas, sejam físicas ou jurídicas, que disponibilizam um valor mensal para uma reserva comum. Este fundo comum é usado por todos os participantes do grupo para que seja adquirido um bem ou serviço, como imóveis, pagamentos de viagens, cirurgias plásticas, automóveis, entre outros. 

Por não precisar de dinheiro de terceiros, o consórcio também pode ser chamado de autofinanciamento, uma vez que usa somente os recursos das pessoas que participam do grupo de reservas financeiras.

Ao longo do tempo do consórcio, um ou mais participantes podem ser sorteados para que o crédito contratado seja utilizado – mesmo que ainda haja prestações a serem pagas. Por isso, todos os participantes concorrem em níveis iguais de direitos e chances de utilizar o crédito.

Quando a pessoa (física ou jurídica) dá um lance, as chances de contemplação são maiores, já que ocorre a oferta de um valor que vai ser abatido do saldo devedor. Tudo depende, no entanto, das ofertas dos outros participantes do grupo do consórcio. As informações e particularidades devem estar no contrato de adesão, por isso é importante ficar atento. 

Para entrar em um grupo, é preciso adquirir uma cota por meio de uma administradora de consórcios. É importante que a empresa seja autorizada pelo Banco Central e que você entre em contato com ela para verificar todos os planos disponíveis. O importante, aqui, é ficar atento aos melhores prazos e valores de acordo com a sua realidade. 

empréstimo com taxas lá embaixo

Como funciona o consórcio?

Os consórcios são uma modalidade de crédito que consiste no financiamento de algo em grupo. Na prática, você e mais pessoas que tenham o mesmo objetivo, como a compra de um apartamento, por exemplo, contribuem mensalmente com uma parcela para formar uma poupança conjunta. 

Este valor é utilizado todos os meses, quando acontece um sorteio em que uma das pessoas participantes é contemplada para receber a carta de crédito, ou seja, o dinheiro que precisa para atingir o objetivo do grupo. 

Para não precisar esperar até o prazo final do consórcio, é possível oferecer lances. Aquele que fizer a maior oferta, pode levar a carta de crédito e usufruir do valor no qual investiu durante todo este tempo. Importante lembrar, no entanto, que a contemplação não é feita em espécie.

Consórcio para capital de giro como funciona?

Diferentemente do que muitos pensam, não é possível utilizar o consórcio para levantar recursos para uma empresa, o chamado consórcio para capital de giro. Esta modalidade tem sido cada vez mais buscada por empresas que precisam dos valores, mas não querem comprometer todo seu orçamento. O problema é que as empresas deixam bastante claro que o objetivo de um consórcio é ajudar os participantes a adquirirem bens e serviços, sendo o consórcio para capital de giro uma prática ilegal.

O uso do consórcio para capital de giro não é possível, uma vez que, na hora da contemplação, o crédito não é pago ao participante, e sim ao fornecedor do produto ou serviço que é o objetivo do consorciado.

É de conhecimento de todos os gestores a importância do capital de giro para o bom funcionamento e a sobrevivência de uma empresa. Sem ele, o negócio não consegue pagar fornecedores, pagar as despesas básicas, comprar matéria-prima, arcar com a mão de obra e estar em atividade no dia a dia.

Por conta disso, muitas empresas buscam o consórcio para obter os recursos. Para isso, é preciso que o dono do estabelecimento seja consorciado, mas também é possível que tudo seja feito no nome da própria empresa. 

Na prática, algumas administradoras permitem que os participantes recebam o crédito em espécie utilizando um imóvel como garantia. Assim, com o valor recebido, o empresário termina de arcar com os pagamentos devidos e pode utilizar o crédito para investir no seu negócio, ampliar as instalações, aumentar o número de colaboradores, entre outras ações inerentes às empresas. 

A ABAC (Associação Brasileira de Administradora de Consórcios), no entanto, deixa bem claro que consórcio para capital de giro é ilegal e não deve ser adotada por empresas. 

Baixe a planilha de fluxo de caixa para o seu negócio

Como funciona o consórcio para empresas?

Embora não seja possível utilizar o consórcio para capital de giro, as empresas podem utilizar esta modalidade de crédito para adquirir produtos ou serviços para o seu negócio. 

Para isso, basta que o proprietário ou a própria pessoa jurídica adquira uma cota em um consórcio. Ele pode ajudar na aquisição de bens, por exemplo, mas também limita as opções. Você pode entrar em um consórcio para adquirir um veículo, por exemplo, mas se perceber durante todo o plano que precisa mais de um outro produto ou serviço, não poderá fazer esta troca.

O consórcio, portanto, permite que o empresário adquira maquinário, imóveis ou outras melhorias para a sua empresa, mas somente na forma do próprio objetivo, ou seja, não pode levantar recursos para o capital de giro em espécie. 

Empresas que pretendem fazer um consórcio, então, precisam ter em mente exatamente aquilo que precisam no médio e no longo prazo, já que não há a possibilidade de se trocar a forma de recebimento da contemplação. 

Como funciona o consórcio para pessoas físicas?

O consórcio para pessoa física funciona de forma bastante semelhante ao consórcio para pessoas jurídicas. 

As pessoas podem optar por adquirir bens e serviços por meio dos consórcios das empresas autorizadas pelo Banco Central. O funcionamento consiste em um grupo de pessoas que se unem em busca de um mesmo objetivo. Para conquistá-lo, todos pagam parcelas mensais, menores do que dos financiamentos, uma vez que no consórcio não há cobrança de juros.

Pode ser uma boa opção para pessoas que não têm pressa para adquirir o bem e que pretendem investir uma pequena quantia todos os meses. A duração do contrato depende do produto ou do serviço escolhido. Já o tempo para ser contemplado depende dos sorteios e dos lances ofertados pelos consorciados. 

Existe uma série de bens que já estão disponíveis para consórcio, como consórcio de imóveis, consórcio de carros, consórcio de motos, consórcio de caminhões e tratores, consórcio de serviços e até consórcios para bicicletas elétricas.

O importante é estar atento a todas as condições do contrato para evitar frustrações, uma vez que a contemplação pode demorar bastante para acontecer quando não há oferta de lances. 

aqui as parcelas não pesam no bolso

Quais as vantagens e desvantagens do consórcio?

Quer saber se o consórcio vale a pena? Veja abaixo as principais vantagens e desvantagens desta modalidade de crédito. 

Vantagens do consórcio

  • Parcelamento total da carta de crédito;
  • Poder de compra à vista, com todos os benefícios;
  • Poder de negociação do valor;
  • Variedade de planos e valores de crédito;
  • Variedade de prazos e tipos de bens escolhidos para consórcio;
  • Contemplação por sorteio ou por lance;
  • Custos baixos, sem juros ou taxas abusivas;
  • Promoção de educação financeira e hábito de poupar;
  • Atualização dos valores ao longo do tempo.

Desvantagens do consórcio

  • Pouca flexibilidade, uma vez que só pode ser contemplado com o bem contratado;
  • Prazo muito longo para contemplação, dificultando o uso do bem ou do serviço;
  • Investimento arriscado com altas chances de não ser contemplado;
  • Aumento das chances somente sob lances e ofertas;
  • Impossibilidade de se resgatar o valor do bem em espécie;
  • Uso demorado dos recursos investidos;
  • Não indicado para quem tem urgência no uso dos produtos ou serviços;
  • Alto risco de inadimplência dos demais participantes do consórcio;
  • Desvalorização do dinheiro investido.

Qual a diferença entre carta de crédito e crédito imobiliário?

Essa é uma dúvida que muitas pessoas têm. Afinal, qual a diferença entre carta de crédito e crédito imobiliário? Para sanar seus questionamentos de uma vez por todas, continue a leitura e veja a que se refere cada uma das modalidades. 

Carta de crédito

A carta de crédito é um documento geralmente oferecido por consórcios que têm valor real que permite que uma pessoa adquira um bem, como uma casa, por exemplo. O documento pode ser comparado a um cheque, ou seja, o proprietário escolhe o imóvel em que pretende investir o que foi conquistado. Esta carta só é oferecida após o consorciado ser contemplado, ou seja, quando tiver a sorte de ser sorteado ou quando desembolsar uma quantia para dar um lance e aumentar as suas chances. 

Crédito imobiliário

O crédito imobiliário, por sua vez, pode ser igualado ao financiamento de imóveis. Isso porque o consumidor paga a compra, a construção ou a reforma de um imóvel. É preciso oferecer um valor como entrada e parcelar o restante. É uma das melhores formas de se adquirir uma propriedade quando não é possível pagar à vista. Diferentemente da carta de crédito, que só pode ser utilizada após contemplação, o crédito imobiliário é liberado após aprovação do banco, possibilitando a compra imediata do imóvel. 

Dito isso, a carta de crédito é destinada a pessoas que vejam as parcelas mensais como um pequeno investimento, sem a possibilidade de usufruto rápido da propriedade em que tem interesse. 

Baixe o infográfico e veja o passo a passo para contratar o seu empréstimo online

Como a Bcredi pode ajudar com o capital de giro?

Se você está buscando levantar recursos para compor o capital de giro do seu negócio, a Bcredi pode ser sua parceira nisso. O empréstimo com garantia de imóvel é uma dessas possibilidades, já que oferece crédito por meio da garantia de uma propriedade.

As taxas baixas atraem a atenção de empresários que buscam angariar dinheiro para fazer a empresa sobreviver em um mercado tão competitivo, possibilitando ganhos muito além das parcelas e taxas de juros e sendo uma das opções mais vantajosas do mercado. 

Sendo uma fintech, a Bcredi consegue oferecer taxas abaixo das praticadas pelas instituições financeiras. Além disso, a contratação online e menos burocrática possibilita o uso do crédito de forma descomplicada e muito mais segura. Outra vantagem é o uso livre do dinheiro, você não precisa comprovar seu investimento. 

Com o empréstimo com garantia de imóvel da Bcredi, os prazos para pagamento são estendidos, o que proporciona parcelas mensais baixas e com taxas a partir de 0,99% ao mês

A nossa proposta é oferecer crédito saudável, sem favorecer a inadimplência e pensando sempre no pagamento mensal das parcelas. Além disso, as simulações online permitem que o consumidor veja exatamente como o empréstimo funcionará, favorecendo o planejamento e contribuindo para que os valores sejam pagos em dia. 

Por que a Bcredi é a melhor opção?

Quem deseja levantar recursos para o capital de giro de uma empresa pode contar com os serviços da Bcredi como sendo a melhor opção. Além das taxas mais baixas do mercado, nós oferecemos prazo de até 180 meses para pagamento, o que facilita um comprometimento suave dos rendimentos da empresa. 

Outra vantagem da Bcredi é que o atendimento é personalizado, rápido e 100% online, fazendo com que os créditos estejam disponíveis em até dez dias úteis após ter toda a documentação aprovada. É possível o consumidor pegar um crédito de até 50% do valor da propriedade, oferecendo mais segurança para o credor e gerando taxas de juros menores e com parcelas que podem chegar a ser até 85% mais baratas do que as parcelas que resultam em outros tipos de empréstimos. 

A Bcredi é especialista nesta modalidade de crédito, que permite a garantia por meio de imóvel sem que seja necessário vender a propriedade. Além disso gerar parcelas mais convidativas, é possível aproveitar as vantagens de um atendimento ágil e personalizado, típico das fintechs e pensado para quem não tem tempo a perder. 

Nosso propósito é oferecer crédito saudável, que estimula o crescimento das pessoas e empresas e que contribui para que a economia do país se movimente. 

Como você pôde perceber, a aquisição de capital de giro por meio de consórcio não é possível atualmente no mercado brasileiro. Além disso, os longos prazos e a demora na contemplação poderiam comprometer a saúde financeira de uma empresa.

O ideal, portanto, é contar com os serviços de uma empresa comprometida, que aceita imóveis como garantia e, com isso, consegue oferecer a taxas mais baixas do mercado. 

Agora que você sabe que não é possível o uso de consórcio para capital de giro, aproveite e faça uma simulação online e descomplicada de um crédito com garantia de imóvel da Bcredi para melhorar os números da sua empresa.

Bcredi

A Bcredi é uma fintech que oferece Crédito com Garantia de Imóvel com uma das menores taxas do Brasil, de um jeito descomplicado. Nossos conteúdos te ajudam a entender melhor o universo financeiro e a fazer melhores escolhas com o seu dinheiro!

Visualizar todas as publicações

Um jeito descomplicado de você acompanhar as novidades do nosso blog.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *