Como funciona o cheque especial? [GUIA COMPLETO]

O cheque especial é uma das opções de empréstimo mais utilizadas no Brasil, mas é uma dívida perigosa. Leia nosso artigo e saiba porque essa modalidade pode te prejudicar.

A falta de planejamento e as necessidades que surgem de forma inesperada no dia a dia podem deixar muita gente nervosa. Isso porque situações de emergência, compras por impulso e o acúmulo de dívidas acabam desestabilizando quem precisa de dinheiro, levando a empréstimos emergenciais e muito dinheiro perdido entre juros e multas. 

Uma das modalidades a que as pessoas mais recorrem é o cheque especial, empréstimo utilizado no Brasil mais do que seria necessário. O problema é que nem todos sabem como funciona o cheque especial.

O cheque especial pode ser bastante prejudicial, principalmente para quem usa o limite que possui em conta sem pensar muito no futuro, em como o valor será coberto ou se está utilizando o recurso com muita frequência. Isso acontece porque os bancos cobram altas taxas de juros no pagamento desses valores, fazendo com o que o dinheiro que cai na conta fique cada vez mais curto e a necessidade de usar o limite, cada vez mais frequente.

A boa notícia é que é possível, sim, evitar o uso do cheque especial com frequência. Para isso, é necessário entender tudo sobre como funciona este tipo de empréstimo, como ele pode prejudicar sua receita mensal e quando é possível utilizá-lo sem correr muitos riscos.

Para ajudar você a entender melhor por que o cheque especial é uma das formas mais arriscadas e prejudiciais de empréstimo no Brasil, preparamos este guia completo com tudo o que você precisa saber para evitar surpresas desagradáveis e ver seu saldo diminuir.

Quer saber mais sobre como funciona o cheque especial? Continue a leitura e veja como manter suas finanças sempre em dia e sem sofrer com juros abusivos!

empréstimo com taxas lá embaixo

O que é o cheque especial?

Chamado comumente de limite da conta corrente, o cheque especial é um crédito oferecido pelo banco, ainda que você não o solicite e não o aprove. Este crédito fica disponível para que você o utilize além do que tem na conta corrente, sendo cobrado assim que você estiver no negativo e um depósito for feito na sua conta.

Dessa forma, você acaba usando mais dinheiro do que tem na conta, fazendo com que o saldo seja negativo e você entre no cheque especial. O problema maior é que os juros do cheque especial podem ser bastante altos, fazendo com que você comprometa sua renda mais do que imaginava e, consequentemente, precise utilizar o crédito novamente com maior frequência. 

Os bancos costumam aumentar o limite do cheque especial mesmo que o correntista não solicite essa alteração. O resultado é um uso cada vez mais frequente e de valores maiores no limite da conta do banco, fazendo com que a dívida possa se tornar uma bola de neve.

Como funciona o cheque especial?

Muitas pessoas já usaram o recurso, mesmo sem saber como funciona o cheque especial. Isso porque ele está disponível para diversas contas, mesmo que o correntista não solicite o limite.

Ele funciona como uma espécie de crédito oferecido pelo banco, uma forma de empréstimo sempre disponível para ser usado. Este é o maior problema: muitas pessoas veem esse valor como uma extensão do valor que há na conta corrente, utilizando-o sem pensar e, muitas vezes, sem necessidade e planejamento.

Quanto maior o uso e o índice de pagamento, mais limite pode ser oferecido pelo banco, fazendo com que as pessoas acabem lançando mão deste empréstimo sem nem saber quais os juros praticados e quanto isso pode comprometer da receita ao longo dos meses.

É importante que o correntista saiba, antes de utilizar o cheque especial, que este é um empréstimo com juros mais altos, dentre todas as modalidades. Isso porque o banco oferece sem ter garantia alguma, diferentemente de outros tipos de empréstimo pessoal. Ou seja, como o banco corre o risco de não receber os valores, acaba aumentando os juros.

Para que você entenda melhor, de acordo com o Banco Central e o IEDI (Instituto de Estudos para Desenvolvimento Industrial), os juros do cheque especial podem ser de mais de 151,8% ao ano. Isso porque a taxa foi limitada no início de janeiro de 2020, ou seja, ela já foi ainda maior e chegou a superar os 300%. Já com o empréstimo pessoal, este número cai para 42%. É uma grande diferença, não é mesmo?

O ideal, portanto, é pedir o cancelamento do cheque especial ou fazer um planejamento financeiro detalhado para seu uso. Evitar este tipo de empréstimo é a melhor forma de não comprometer sua renda e transformar a dívida em uma bola de neve. Lembre-se: este dinheiro disponível além do que você tem na conta não é seu, ou seja, vá com cuidado e lembre-se de que tudo tem um preço.

Baixe a sua planilha financeira pessoal

Quais são os juros dos bancos para o cheque especial?

Para você entender melhor os valores cobrados dos juros do cheque especial, fizemos uma tabela exclusiva com os índices cobrados pelos principais bancos do país. 

É importante lembrar que, em novembro de 2019, foi criada uma regra pelo Banco Central que impede os bancos de cobrarem mais do que 8% ao mês, ou 151,8% ao ano. Antes disso, a taxa estava em 12,4%, ou 306,6% ao ano.

Acompanhe as taxas praticadas pelas principais instituições bancárias do país:

Taxas de juros do cheque especial
BancoTaxa de juros ao mês
Caixa Econômica Federalaté 4,99%
Banco do Brasilaté 7,73%
Banco Bradescoaté 8%
Banco Itaúaté 8%
Banco Santanderaté 8%

Lembrando que esses valores podem variar de acordo com o relacionamento do correntista com o banco. Mesmo que tenha havido esta redução, os juros ainda são altos e podem comprometer boa parte do seu orçamento ao final do ano. Além dos juros cobrados, atrasar o pagamento ainda resultará na cobrança de multas. 

Como funciona o limite do cheque especial?

A dinâmica do cheque especial pode variar de acordo com a instituição bancária, no entanto, em geral, elas funcionam de forma bastante similar. O crédito é disponibilizado na conta corrente do consumidor. Os valores dos limites dependem da renda e do relacionamento do correntista com o banco, por isso, não há uma regra.

O limite pode começar em R$ 500, como é o caso da Caixa Econômica Federal e da maioria dos bancos. Este limite, portanto, é utilizado assim que você precisa de um valor além do que está no saldo bancário. Na hora, o banco disponibiliza a cobertura desta quantia faltante. É a partir daí que você começa a pagar os juros em cima do valor utilizado além do que você tinha na conta.

Assim que um valor for depositado na sua conta, é utilizado para cobrir o limite usado. Isso é feito antes mesmo de ser disponibilizado por você. O que sobra fica creditado como saldo positivo – não sem antes haver a cobrança dos juros. 

O pagamento, portanto, acontece na medida em que há novos valores disponíveis na sua conta. É importante lembrar que os juros são cobrados no primeiro dia útil do mês.

Veja o webinar e tire suas dúvidas sobre o empréstimo online

Quantos dias posso usar o cheque especial?

O cheque especial pode ser utilizado por 180 dias, ou seis meses. Depois disso, ele pode ou não ser renovado. Tudo depende de como foi o uso do valor e a adimplência do correntista, ou seja, se o empréstimo foi pago em dia. 

As novas regras do Banco Central ainda obrigam o banco a oferecer uma opção mais vantajosa de crédito quando o consumidor compromete mais de 15% do cheque especial por 30 dias seguidos. Enquanto o cliente estiver utilizando, o banco deverá apresentar nova proposta mensalmente. Esta regra é aplicada em dívidas acima de R$ 200. 

As instituições, no entanto, podem aplicar algumas medidas diferentes. O ideal é ler o contrato com atenção antes de contratar o serviço de cheque especial. 

Por que o cheque especial não é bom?

A armadilha maior do cheque especial está no fato de que você o utiliza sem receber nenhum aviso, é como se ele fizesse parte do dinheiro que você tem em conta. Um limite de R$ 500, por exemplo, aparece como disponível além do saldo real da sua conta. 

O uso é fácil – basta passar o cartão de débito e o valor é o utilizado. É tentador, uma vez que você não precisa oferecer nada como garantia e pode utilizar de forma simples. O problema é que isso é feito, em geral, em gastos supérfluos, sem que tenha havido um planejamento anterior, sem pensar na real necessidade e nos juros que serão aplicados.

O que acontece, então, é que você acaba comprometendo boa parte da sua receita na hora de cobrir o valor utilizado, mais os juros e a multa, no caso de não haver saldo suficiente para pagamento do cheque especial no primeiro dia útil do mês.

Além disso, como o banco oferece esse empréstimo de forma arriscada, suas cobranças são mais altas do que qualquer outro tipo de empréstimo pessoal. Essas modalidades mais baratas usam como garantia imóveis, automóveis ou consignados, podendo aplicar taxas de juros muito mais convidativas e de forma pontual.

Baixe o checklist e dê o primeiro passo para controlar melhor o seu dinheiro

Como se planejar para não precisar usá-lo?

Como você viu, o cheque especial não é uma forma de empréstimo muito indicada, principalmente se você não tem controle sobre seu orçamento. Para evitar utilizá-lo, confira abaixo nossas dicas. 

Conheça sua vida financeira

O primeiro passo para você se ver imune aos encantos do cheque especial, é saber como funciona sua vida financeira. Para isso, anote com frequência suas receitas e despesas e acompanhe com constância o saldo da sua conta corrente. Lembre-se de prestar atenção ao limite disponibilizado pelo banco para evitar utilizá-lo. Saber exatamente quanto você tem na conta, qual o valor que entra mensalmente e quanto você precisa para suas despesas faz com que você utilize somente o que precisa, ou seja, sem utilizar os valores disponíveis no dia a dia.  

Opte por usar dinheiro em vez de cartão de débito

No dia a dia, procure sacar os valores disponíveis no banco (sem contar o cheque especial) e utilize as cédulas em vez do cartão de débito. Assim fica mais fácil visualizar quanto dinheiro você ainda tem e pode ser gasto, contribuindo para um bom planejamento financeiro ao longo do mês. O cartão de débito torna muito mais fácil o gasto, principalmente aquelas pequenas compras na banca ou na lanchonete, e evita que você veja quanto ainda resta. Veja bem: uma única passada no cartão de débito pode fazer você entrar no cheque especial.

Prefira atrasar o pagamento de um boleto a usar o cheque especial

Por mais irresponsável que isso pareça, vale mais a pena atrasar uma conta do que usar o limite do cheque especial. Isso porque os juros de um boleto são muito menores do que os cobrados pelo banco na utilização do crédito. 

Peça ao banco para cancelar o cheque especial

Por mais que, às vezes, a gente se veja em uma situação de aperto e precise de um dinheiro extra, o ideal é pedir ao banco que cancele o limite. Isso é indicado, principalmente, para aqueles que não têm um planejamento financeiro e não conhecem seu orçamento a fundo. Para cancelar o serviço, você precisa ir até o banco e conversar com o seu gerente.

Priorize pagar o cheque especial quando existir dívidas

Às vezes temos que escolher qual conta podemos pagar, não é mesmo? Quando isso acontece e você tem um valor a ser coberto no cheque especial, opte por quitar essa dívida prioritariamente. Os juros aplicados são altos e podem comprometer seu orçamento por um longo tempo, caso não haja um bom planejamento

Faça um planejamento financeiro eficiente 

A melhor forma de evitar o uso do cheque especial é fazer um planejamento financeiro. Para isso, saiba exatamente para onde está indo seu dinheiro e controle seus gastos diários, até aqueles que parecem inofensivos. Assim você evita precisar recorrer a dinheiro extra para assumir suas dívidas. 

Tenha uma reserva financeira de emergência

Ter uma quantia guardada para emergências e episódios inesperados é essencial para evitar recorrer a empréstimos com juros altos, como é o caso do cheque especial. Para garantir isso, poupe um pouco todos os meses até que você atinja uma quantia pré-estabelecida e que lhe deixe seguro e confortável. Assim, quando surgir uma necessidade, você usa um dinheiro que é seu e evita contrair dívidas. 

aqui as parcelas não pesam no bolso

Qual a diferença entre Cheque e cheque especial?

Nos aspectos legais, o cheque é a mesma coisa que o cheque especial. Isso porque ambos são uma ordem de pagamento e um título de crédito. A diferença é que, no caso do cheque especial, o banco realiza um empréstimo que pode ser utilizado caso você precise de mais dinheiro do que há na sua conta. Juros são cobrados até que a dívida seja quitada.

Já no caso dos cheques comuns, o correntista oferece um documento que autoriza o desconto do valor em determinada data e por determinada pessoa. Caso haja o valor na conta no dia que há o desconto, nada a mais é cobrado pela instituição bancária. 

Quais alternativas para não usar o cheque especial?

Muitas pessoas acreditam que somente as grandes instituições bancárias oferecem serviço de crédito. O que nem todo mundo sabe é que, hoje, existem diversas fintechs, as startups financeiras, que oferecem esses serviços a taxas muito mais convidativas.

A Bcredi é uma dessas empresas, que oferece empréstimo descomplicado 100% online para diversos perfis. Para garantir uma taxa baixa, a empresa pede garantia imobiliária, tornando o pagamento muito mais facilitado e com menor comprometimento da renda do cliente. 

O processo também é muito menos burocrático, contribuindo para que os valores sejam utilizados mais rapidamente e que as dívidas sejam sanadas com a mesma eficiência.

O cheque especial pode ser uma grande armadilha, principalmente para quem não tem organização financeira. Por isso, se você precisa de dinheiro extra, faça um planejamento, analise a quantia necessária para seu investimento e entre em contato com uma empresa que oferece empréstimo pessoal a valores mais baixos.

Em caso de problemas, você também consegue refinanciar a dívida, evitando cair na bola de neve do cheque especial e gastando muito mais do que o valor que foi realmente utilizado por você. 

Agora que você sabe como funciona o cheque especial, quais as taxas cobradas pelos bancos e como este crédito pode impactar na sua saúde financeira, aproveite para conhecer a Bcredi e fazer uma simulação online de empréstimo pessoal. Assim você consegue visualizar suas parcelas, o tempo de quitação de dívidas e todos os detalhes do contrato. Clique aqui e veja como acessar sua simulação completa, online e descomplicada. 

Bcredi

A Bcredi é uma fintech que oferece Crédito com Garantia de Imóvel com uma das menores taxas do Brasil, de um jeito descomplicado. Nossos conteúdos te ajudam a entender melhor o universo financeiro e a fazer melhores escolhas com o seu dinheiro!

Visualizar todas as publicações

Um jeito descomplicado de você acompanhar as novidades do nosso blog.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *