Como Declarar Imposto de Renda 2019: Tudo o que você precisa saber para dominar esse leão!

leão imposto de renda
Julia Broens

7 de março de 2019

Atualizado em: 18 de outubro de 2019

Se você é um dos brasileiros que precisa declarar o imposto de renda e ainda tem dúvidas sobre como fazer tudo corretamente, pode ficar tranquilo: vamos ajudar você a descomplicar este leão.

Declarar o imposto de renda não precisa ser motivo de dor de cabeça. Organizar a sua documentação e prestar atenção aos detalhes, como por exemplo os empréstimos, farão com que essa tarefa se torne bem mais fácil. Preparamos este artigo com tudo que você precisa saber na hora de realizar a sua declaração. Confira:

O que é imposto de renda?

Antes de saber como declarar, é preciso compreender o que é o imposto de renda e porque ele é arrecadado todo ano. O tributo mais famoso do país é recolhido pelo Governo Federal considerando o valor daquilo que você ganha. Para isso, você precisa informar a sua renda anual para que o cálculo de recolhimento do imposto seja feito proporcionalmente.

Para descomplicar: o imposto de renda é um valor que vai ser descontado da sua renda considerando o quanto que você ganha, de acordo com o que você declarou no ano anterior.

Quem precisa declarar?

Todas as pessoas que sejam residentes no Brasil e que tenham recebido a renda tributável maior que de R$ 28.559,70 em 2018. A renda tributável inclui o salário, horas-extras, 13º salário, etc. O aposentado, que tem o rendimento superior a R$ 28.559,70, também precisa declarar o imposto de renda, já que os valores recebidos do INSS também são tributáveis.

Confira a tabela do imposto de renda das Pessoas Físicas e descubra se você é isento ou se vai precisar fazer a sua declaração 2019:

Renda mensalAlíquota cobrada
Até R$ 1.903,98Isento
Entre R$ 1.903,99 e R$ 2.826,657,5%
Entre R$ 2.826,66 e R$ 3.751,0515%
Entre R$ 3.751,06 e R$ 4.664,6822,5%
Renda acima de R$ 4.664,6827,5%

As taxas chamadas de alíquotas dizem qual será a sua porcentagem de contribuição de acordo com a sua renda mensal. Se ela equivale a até R$ 1.903,98 mensal ou R$ 22.847,76 anual, você é isento do recolhimento.

Quais são os prazos do imposto de renda 2019?

Preste bastante atenção aos prazos! Em função do carnaval, em 2019 você vai ter uma semana a menos para fazer a declaração. Caso você atrase a entrega da documentação, a multa mínima é de R$ 165,74 e pode ir até 20% do imposto devido. Melhor não atrasar, não é mesmo? Anote as datas:

Início07 de março (quinta-feira)
Término30 de abril (terça-feira)

Outra dica importante: não deixe tudo para a última hora. Como a lista de documentos pode ser extensa, é melhor evitar os imprevistos e não ter a pressão do final do prazo. Assim, você consegue fazer tudo com mais calma e entregar a declaração antes do término do prazo, evitando o pagamento da multa. Além disso, caso algo saia errado, você terá tempo para fazer os ajustes necessários.

Como declarar imposto de renda? Confira o passo a passo!

Para descomplicar a sua declaração, basta seguir os seguintes passos:

  • Reúna os documentos necessários: documentos pessoais, informes de rendimento, comprovantes de despesas e comprovantes de bens.
  • Preencha todas as suas informações no Programa Gerador da Receita Federal: instale o programa e selecione a opção de criar uma nova declaração.
  • Escolha um dos modelos da declaração: o Modelo Simplificado tem um desconto de 20% sobre o valor do cálculo e apresenta uma visão geral dos gastos. Já o Modelo Completo permite que os gastos dedutíveis possam ser lançados separadamente no sistema, o que possibilita maior detalhamento.
  • Envie a sua declaração: após preencher todas as informações, você envia a declaração para a Receita Federal. Nesse momento, você deve informar os seus dados bancários para que seja possível efetuar a possível restituição do valor recolhido no seu IR.
  • Ajuste os eventuais erros: até o final do prazo, você pode editar a declaração e ajustar as informações necessárias por meio da declaração retificadora.

Quais são os documentos necessários para que a declaração fique completa?

Além dos seus documentos pessoais, como RG, CPF e título de eleitor, a Receita Federal exige outros comprovantes. Para que corra tudo bem, é preciso que você esteja com todos eles na hora de fazer a declaração.

Os informes de rendimento comprovam quanto você ganhou. Assim, você deve ter em mãos os seguintes informes:

    • Informe de rendimento do seu empregador, se você teve contrato de trabalho em 2018;
    • Informe de rendimento do seu banco comercial;
    • Caso você tenha algum investimento, informe de rendimento da sua corretora.

Você também deve separar os comprovantes de despesas que podem ser deduzidos no imposto de renda. Entre eles, você pode considerar comprovantes de mensalidades de escolas e faculdades, consultas médicas e odontológicas, pagamento de pensão, doações a entidades beneficentes, entre outras.

Importante! Esses comprovantes devem conter o nome, CPF ou CNPJ do prestador do serviço, além das informações de quem recebeu o serviço.

Os últimos comprovantes necessários são os de bens como imóveis e automóveis. A partir deles, a Receita Federal verifica se são compatíveis com a sua renda declarada.

Você pode solicitar os documentos que são emitidos pelos prestadores de serviços sem nenhum problema, uma vez que é dever deles disponibilizá-los e direito seu recebê-los . Mas não se esqueça de fazer este pedido também com antecedência, pensando no prazo do prestador e no prazo que você tem para finalizar a sua declaração.

EMPRÉSTIMO

Se você tem um empréstimo, ele deve constar na sua declaração de IR. O primeiro critério para declará-lo é o valor tomado. Se a soma total ultrapassar R$ 5 mil, é preciso declarar. Nessa soma, são considerados os valores contratados com instituições financeiras e os feitos de maneira informal, com amigos e familiares, por exemplo.

Mas por que preciso declarar meus empréstimos?

A Receita Federal faz, todos os anos, a avaliação do patrimônio de cada contribuinte comparando com os pagamentos feitos e a renda. Como os empréstimos podem causar variações nesses valores, eles devem ser informados para a análise.

Precisa de um empréstimo? Saiba como nós, da Bcredi, podemos ajudar você!

Como devo declarar o empréstimo no imposto de renda?

O seu empréstimo deve ser informado na Ficha de Dívidas e Ônus Reais. Ali, você deve indicar o tipo da dívida e quem ofereceu o empréstimo, indicando o CPF ou CNPJ de quem foi o credor.

Para informar o tipo de dívida, você seleciona o código que corresponde ao credor, ou seja, de quem ofereceu o crédito para você.

      • (11) Estabelecimento bancário comercial: empréstimos feitos em bancos
      • (12) Sociedade de crédito, financiamento e investimento: crédito contratado em uma instituição financeira
      • (14) Pessoas físicas: empréstimo feito com amigos, parentes ou conhecidos
      • (15) Empréstimos feitos no exterior
      • (16) Se o seu empréstimo não se adequa a nenhuma das opções anteriores

No campo de “discriminação”, você insere mais detalhes sobre o seu empréstimo.

      • Dados do credor: razão social e CNPJ
      • Total das parcelas do empréstimo
      • Dia em que foi pago a primeira parcela
      • Quantas parcelas já foram pagas
      • Quantas parcelas ainda faltam para pagar

Também é necessário informar o saldo devedor nos campos “Situação em 31/12/2017” e “Situação em 31/12/2018”. Caso não exista saldo devedor em 2017, apenas o campo de 2018 deve ser preenchido.

Malha Fina: o que é e porque ela não precisa ser motivo de insegurança!

Depois do envio da declaração, começa o trabalho da Receita Federal para verificar se existem erros no preenchimento e até mesmo inconsistências. Existem casos em que esse tipo de situação pode gerar uma infração à legislação tributária e a malha fina existe para diminuir as chances deste tipo de problema ocorrer.

Para evitar transtornos, não deixe que o seu empréstimo te dê dor de cabeça! Basta seguir as nossas orientações e, em caso de dúvidas, converse com o seu contador. Ele vai ajudar você a solucionar todas as questões burocráticas relacionadas ao leão.

Fique atento à restituição!

Se você pagou imposto de renda a mais ao longo do ano, como no caso do desconto que é feito na folha de pagamento de quem é assalariado, saiba que pode receber uma restituição. Na hora da declaração, o programa faz o cálculo e, de acordo com as deduções que você tiver, o sistema te oferece descontos. Dependendo do número de descontos, você até pode receber dinheiro no final.

Entre junho e dezembro, a Receita Federal programa lotes para o pagamento da restituição. A prioridade é de idosos, pessoas com deficiência e doenças graves. Logo depois, o critério de priorização é a data de entrega da declaração. Para ver se você vai ter a restituição, basta acessar o site da Receita Federal e informar os seus dados. Por isso, o ideal é acompanhar o sistema periodicamente depois da entrega da declaração.

Depois de todas essas dicas, ficou bem mais fácil dominar o leão do IR, certo? Agora é só reunir os documentos e ficar atento a todos os prazos.

#DescomplicaAí

Julia Broens

Seguidora fiel do mundo financeiro, de inovação e tecnologia, escrever sempre foi uma das minhas grandes paixões. Sou formada em Comunicação Organizacional e acredito que a boa comunicação é fundamental para descomplicarmos o universo financeiro

Um jeito descomplicado de você acompanhar as novidades do nosso blog.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *