As contas atrasaram: e agora, como sair das dívidas?

mulher jovem de vestido azul e óculos segura contas e olha para o computador com cara de aflição por causa das dívidas

As contas atrasaram e você não sabe o que fazer? Nós temos as principais dicas para organizar sua vida financeira e sair das dívidas! Confira!

Um dos maiores desafios do brasileiro de qualquer classe social e com qualquer rendimento é a organização das finanças. As dificuldades com as receitas que ficam abaixo do valor das dívidas podem deixar qualquer um à beira de um ataque de nervos. Por isso, saber como sair das dívidas pode ser um alívio e tanto. 

Não é pra menos, já que a inadimplência anda em alta no país e, além de consumir os recursos financeiros de endividados que se veem afogados em taxas e juros por atraso, ainda pode causar grandes impactos emocionais e na qualidade de vida de uma família. 

Ter o nome na lista dos negativados pode impedir a realização de sonhos, os planos para o futuro, as viagens que você deseja fazer e até o negócio que você sempre pensou em abrir. A boa notícia é que existem, sim, formas de você quitar suas dívidas, tirar o nome dos serviços de proteção ao crédito e começar a respirar aliviado.

Outra desvantagem é que as dívidas deixam o “nome sujo”, impedindo você de comprar veículos, adquirir propriedades ou até conseguir um crédito em uma instituição financeira. Em resumo: as dívidas podem ser obstáculos para que sua vida caminhe conforme você planejou.

Muitas pessoas ganham salários razoáveis ou até acima da média e mesmo assim não conseguem viver de acordo com suas receitas. Isso pode acontecer porque parte do dinheiro está sendo usado para pagar juros e taxas que duram anos e não abatem valor algum das dívidas.

Existem alguns passos que devem ser seguidos para que você finalmente se veja livre das cobranças e dos débitos vencendo. O principal deles é adquirir o hábito de se planejar e fazer bom uso do dinheiro.

Você tem dívidas e quer saber o que fazer para se livrar delas de uma vez por todas? Esse artigo é pra você! Preparamos um guia completo para que você pague o que deve sem comprometer seu orçamento e conhecendo uma nova dinâmica de gastos e de controle das finanças. Confira:

Baixe o ebook e tire todas as suas dúvidas sobre o crédito com garantia de imóvel

Como sair das dívidas de forma rápida?

Deixar as dívidas para trás e começar a viver de forma mais tranquila pode não parecer uma tarefa fácil. Para que você dê o primeiro passo, no entanto, precisa saber que, com planejamento e disciplina, essa liberdade pode estar mais perto do que você imagina.

Veja agora um passo a passo para você quitar seus débitos rapidamente. 

Primeiro passo: faça uma listas das dívidas que você tem

Para saber o que fazer para sair das dívidas de forma rápida é preciso que você saiba exatamente quanto deve. Isso é essencial para garantir que você poupe o necessário e que faça negociações compatíveis com a sua realidade.

Comece colocando no papel ou em uma planilha no computador tudo o que existe de pagamento atrasado em seu nome: luz, água, telefone, internet, crediário, cartão de crédito, financiamento, cheque especial, entre outros. 

Ao lado de cada item, coloque o valor de pagamento mensal, o montante devido, a taxa de juros e quanto tempo falta para quitar o parcelamento, quando a situação exigir. Procure não se desesperar com os valores, pois isso pode fazer com que você desista de quitar os pagamentos. Lembre que esses valores podem ser negociados, ou seja, as condições podem deixar você mais tranquilo.

Segundo passo: negocie as dívidas que você listou

Agora que você sabe exatamente quanto e o que deve, é hora de tentar condições melhores de pagamento. Essa etapa é importante, ainda que você acredite que não tem poder de persuasão ou que a conversa não fará diferença. Acredite: a maioria dos estabelecimentos e instituições bancárias preferem receber menos e o quanto antes do que simplesmente não receber dívidas prescritas. 

Se achar necessário, uma dica é conferir as condições de instituições financeiras que oferecem crédito pessoal. Muitas vezes pode valer a pena quitar todas as dívidas à vista em troca de uma única parcela por mês.

Vá aos locais ou ligue para os setores de cobrança e anuncie sua intenção de quitar sua dívida. Pergunte sobre os valores originais e atualizados, quais foram as taxas aplicadas e veja se há alguma cobrança abusiva. Em caso positivo, mostre a irregularidade e não pague nada além do que deve.

Explicite ao negociador suas condições de pagamento, estipule um valor máximo por mês e veja se sua proposta é aceita. Lembre-se, no entanto, de que, quanto mais rápido você quitar a dívida, menos vai gastar com taxas de juros.

Terceiro passo: comece a pagar as dívidas com juros mais altos

Leve isso para a vida: a prioridade no pagamento das dívidas deve ser daquelas que têm juros mais altos. Isso porque, quanto mais tempo você atrasa, mais o débito vai consumir uma generosa fatia do seu orçamento. Além disso, quanto mais adiar o pagamento dessas dívidas, mais complicado vai ficar.

Para fazer isso com eficiência, veja a lista que você fez no primeiro passo e escolha as de maior valor para quitar primeiro. Se facilitar, numere os débitos por ordem de pagamento e vá destacando cada um deles à medida que forem sanados. Além de ajudar na visualização, você ainda pode criar mais motivação para acabar com tudo o mais rápido possível. 

Quarto passo: organize as finanças e saiba para onde vai seu dinheiro

Pagar as dívidas rapidamente e não adotar um planejamento financeiro eficiente pode ajudar momentaneamente, mas facilita que você contraia novos débitos. Por isso, se você quer estar com as finanças sempre em dia, é imprescindível que você crie e utilize ferramentas de controle do que entra e sai da sua conta.

Você deverá calcular exatamente quanto ganha (não se esqueça de descontar impostos e demais taxas) e saber quais são as despesas. Assim você consegue ver se está gastando mais do que deve e se precisa cortar alguma conta. 

Além das contas principais, calcule quanto você costuma consumir com lazer e também com gastos supérfluos no dia a dia. Uma dica é você anotar toda vez que passar o cartão de débito ou que tirar aqueles trocados da carteira. Por mais que isso pareça um detalhe, você poderá se surpreender com quanto é consumido nos chicletes do dia a dia. Faça disso um hábito para que você tenha o controle do seu orçamento em mãos em vez de ser dominado por ele.

Quinto passo: não faça novas dívidas enquanto não quitar o que precisa

Agora que você sabe das suas contas e do quanto exatamente ganha, é hora de controlar os gastos e não fazer mais nenhuma dívida enquanto não quitar o que está atrasado. Procure não usar o cartão de crédito, economize no restaurante do final de semana e busque alternativas mais baratas de lazer.

Também vale a pena apagar as luzes dos cômodos da casa que estão vazios e adquirir somente aquilo que você precisa. Se o período for longo, vale a pena cancelar os pontos extras de TV a cabo e trocar o plano de telefonia por um mais modesto.

Essa etapa é essencial para que o seu planejamento e o pagamento das suas dívidas sejam bem-sucedidos. Converse com a sua família e peça a colaboração e compreensão de todos, assim fica mais fácil você manter o hábito do gasto consciente e evita que você se sinta pressionado a gastar mais do que pode.

Sexto passo: determine uma meta para poupar todo mês

Agora é hora de você criar o hábito de poupar um pouco de dinheiro todo mês. Estabeleça uma meta do quanto é necessário para que você quite suas dívidas. Lembre-se de que é importante que essas metas sejam reais, ou seja, possíveis de serem alcançadas. Objetivos impossíveis podem frustrar e fazer com que você desista rapidamente.

Se for possível, sempre que sobrar um pouco a mais no mês, procure poupar em vez de gastar. Assim você consegue atingir a meta mais rapidamente e pode se entusiasmar em continuar economizando. 

Caso você perceba que seu orçamento está muito curto, verifique a possibilidade de fazer um empréstimo pessoal. Muitas vezes as instituições oferecem condições vantajosas de pagamento. Além do mais, você concentra todas as dívidas em uma única parcela, uma vez que poderá pagá-las à vista com o dinheiro do crédito oferecido.

Como negociar a dívida com o banco?

As dívidas com os bancos são as mais preocupantes para os brasileiros. Isso porque elas fazem com que outras instituições neguem novos financiamentos e ainda podem consumir boa parte do seu orçamento. Saber como negociar os débitos com o banco, portanto, é essencial para que elas acabem de uma vez por todas. Veja abaixo como fazer isso.

Tome a iniciativa

O primeiro passo para que você consiga negociar suas dívidas com o banco é procurar a instituição para conversar. Procure marcar uma hora com o profissional responsável e ofereça uma proposta de negociação. Muitas vezes os bancos são mais receptivos quando ainda não houve comunicação por parte do setor de cobrança.

Mostre interesse em realizar os pagamentos e veja o que pode ser feito por você. Converse, exponha sua situação e procure gerar empatia em quem lhe atende. Isso pode facilitar bastante a flexibilidade do banco em ajudar você a pagar as dívidas.

Ofereça contrapropostas durante a conversa

Por mais que você esteja no banco para pagar uma dívida, lembre-se de que eles não estão lhe fazendo um favor. Assim como você tem interesse em limpar seu nome, a instituição tem interesse em receber o valor devido. Por isso, enquanto vocês negociam, procure oferecer contrapropostas e soluções para o que achar que é vai prejudicar seu orçamento.

Quando você faz isso, o banco entende que você tem consciência do valor devido e que quer pagar, mas que está buscando soluções para que tudo se resolva rapidamente. Isso também mostra que vocẽ está atento às condições e as taxas cobradas. 

Esteja seguro para negociar

Com vergonha da dívida, muitas pessoas se sentem intimidadas na hora da negociação. Lembre-se de que, como você, milhões de brasileiros estão com débitos e com o “nome sujo”, ou seja, converse de igual para igual. 

Quando um devedor se sente acuado na presença do credor, ele fica mais vulnerável para aceitar condições que não condizem com seu orçamento. O resultado disso é mais inadimplência e um débito cada vez maior. Para evitar esse problema, vá ao banco com segurança e faça o seu melhor.

Vá aos feirões de negociação realizados pelos bancos

Alguns bancos e órgãos de proteção ao crédito realizam feirões e mutirões de negociação. Nesses eventos são oferecidas taxas de juros menores e melhores condições de pagamento. Em algumas situações, inclusive, é possível conseguir valores que custam 10% do valor do débito.

Informe-se a respeito das feiras na instituição para quem você precisa pagar e vá até lá conversar com um agente de negociação. Além de você mostrar interesse na quitação do débito, ainda pode conseguir fazer isso à vista ou então em condições que nem imaginava conseguir.

Quanto tempo leva para caducar dívida de cartão de crédito?

Para que uma dívida com o cartão de crédito caduque, ou seja, prescreva, é preciso que se passem cinco anos após a data de vencimento do débito. Após esse período, seu nome não constará mais no Serasa. Parece um sonho? Mas não é bem assim.

Embora uma dívida caduque e seu nome fique “limpo”, ela continuará existindo, ou seja, poderá ser identificada quando você solicitar novo crédito ou quiser realizar um financiamento. 

Isso pode dificultar bastante sua vida, já que seu score bancário permanecerá baixo e sua reputação como bom pagador poderá ir por água abaixo. Se você pretende esperar que as dívidas caduquem, portanto, convém não esperar que a realidade mude radicalmente.

Como pagar uma fatura com cartão de crédito?

Poucas pessoas sabem, mas é possível pagar uma fatura com cartão de crédito. Para fazer isso, primeiro é preciso que você verifique se o seu cartão prevê essa possibilidade. Depois disso, verifique se há taxas cobradas e em quanto elas vão aumentar o valor da fatura.

Se você decidiu que, mesmo assim, quer pagar a fatura com cartão de crédito, você pode fazer isso pelo aplicativo da administradora de cartões. Procure a opção de pagamento e digite o código de barras da fatura. Depois, selecione a opção de pagamento com cartão de crédito e finalize a operação.

Outra forma é utilizar o próprio aplicativo do banco ou o caixa eletrônico do qual você é cliente. Para isso, basta selecionar a opção de cartão de crédito e digitar o código de barras.

O importante, aqui, é verificar as taxas cobradas para ver se vale a pena fazer o pagamento por esta modalidade. Por mais que o banco não cobre, existe o IOF (Imposto por Operação Financeira), taxa cobrada em toda transação. 

Se você tem a quantia, portanto, opte por pagar na forma convencional, já que o cartão de crédito é uma dívida a mais para você contabilizar no orçamento. 

Como a educação financeira pode livrar você de roubadas?

A educação financeira é um conceito que tem como objetivo saber controlar as finanças e utilizar bem o dinheiro. Independentemente do salário, qualquer pessoa se beneficia disso, já que consegue entender exatamente tudo o que acontece no orçamento.

Para que você colha os frutos e entenda as vantagens da educação financeira, é preciso saber quanto ganha e entender como utilizar as receitas da melhor forma. Se suas despesas estão além do que recebe, obviamente que ficará no vermelho e as dívidas vão surgir. O ideal, portanto, é gastar menos do que ganha e reservar uma fatia para poupar ou investir. 

Depois de entender a dinâmica e saber quanto exatamente vai para sua conta, é hora de começar a se aprofundar nas taxas cobradas pelos bancos e investimentos. Também é importante que você avalie quanto é cobrado cada vez que você atrasa uma conta.

Aqui não se trata de você cortar todos os gastos e abrir mão do lazer e dos momentos com os amigos e da família. A ideia é fazer com que você gaste com sabedoria e cautela, entendendo o valor do que ganha e fazendo com que seus ganhos sejam utilizados naquilo que vale a pena. 

Além de se preocupar com sua qualidade de vida, é essencial que você se preocupe com emergências e imprevistos. Para isso, procure poupar cerca de 20% do que ganha e deixe na caderneta de poupança ou em outro fundo de reserva ou investimento. Assim você consegue resolver problemas de urgência, como problemas de saúde, o carro que estragou e outras surpresas desagradáveis. 

Usar o dinheiro com inteligência faz com que ele seja uma solução, e não um problema na sua vida. Por isso, se organizar e se planejar é essencial para que você saia das dívidas e comece a planejar um futuro ainda melhor.

Agora que você sabe como sair das dívidas, não deixe de conferir as condições de crédito pessoal da Bcredi. Assim você consegue quitar seus empréstimos e concentrar suas parcelas em uma única, com condições e facilidades especiais, garantia de imóvel e as taxas mais baixas do mercado. Faça agora mesmo uma simulação e veja como ficarão suas parcelas!

Baixe o checklist e dê o primeiro passo para controlar melhor o seu dinheiro
Bcredi

A Bcredi é uma fintech que oferece Crédito com Garantia de Imóvel com uma das menores taxas do Brasil, de um jeito descomplicado. Nossos conteúdos te ajudam a entender melhor o universo financeiro e a fazer melhores escolhas com o seu dinheiro!

Visualizar todas as publicações

Um jeito descomplicado de você acompanhar as novidades do nosso blog.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *