63 milhões de brasileiros estão na lista de inadimplência: o que fazer para não ser parte da estatística?

Saiba o que fazer para não estar na lista de inadimplencia

A inadimplência é a realidade enfrentada por mais de 63 milhões de brasileiros. Para gerenciar as finanças e não entrar nas estatísticas é preciso ter disciplina e um controle bem estruturado de todas as contas a serem pagas.

Das contas básicas até o pagamento do cartão de crédito ou empréstimo pessoal, quem atrasa o pagamento em um dia já entra na lista de inadimplência. Segundo uma pesquisa divulgada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), existem 63,29 milhões de consumidores inadimplentes no Brasil.

É verdade que o cenário econômico não anda favorável para que as contas sejam pagas em dia. A perspectiva ainda não é positiva: a taxa de desemprego ainda é alta – em maio de 2018, cerca de 13,2 milhões de brasileiros estavam desempregados. Além disso, o consumidor ainda não sentiu a redução dos juros, já que eles não estão seguindo o mesmo ritmo da taxa Selic.

Mas você deve estar se perguntando: então o que está ao meu alcance para não entrar na lista da inadimplência? A resposta é mais descomplicada do que parece: um bom planejamento pode ser seu principal aliado.

Controle suas finanças

A educação financeira, infelizmente, ainda não faz parte da cultura dos brasileiros. Então, o hábito de controlar as finanças faz parte do dia a dia de poucas pessoas. Querer ter bons hábitos ao cuidar das suas finanças é o primeiro passo: por isso, sempre há tempo de começar a sua educação financeira!

Para iniciar a gerir todas as suas contas, basta colocar na ponta do lápis todos os seus gastos e compará-los com a sua renda. Um modelo simplificado de planilha de controle de finanças pessoais pode te ajudar nessa tarefa.

 Baixe o modelo simplificado de planilha financeira pessoal

Cuidado com armadilhas

A pesquisa também mostrou que houve um aumento significativo nas dívidas bancárias. Essa é uma das principais armadilhas que você deve evitar. As taxas de juros das linhas tradicionais de crédito como cartão de crédito, cheque especial, empréstimos e financiamentos são altíssimas.

Por isso, atrasar o pagamento dessas contas pode ser o pontapé inicial da bola de neve do endividamento: as dívidas se acumulam, os juros só aumentam e você fica cada vez mais endividado.

Troque dívidas mais caras por mais baratas

Quem está endividado deve priorizar a quitação delas para ter uma vida financeira saudável. Nesse caso, você pode considerar fazer um empréstimo saudável para pagar as dívidas, como o crédito com garantia de imóvel.

Essa modalidade tem taxas mais baixas de juros e prazos estendidos de pagamento. Isso impacta mensalmente em suas contas, com parcelas mais acessíveis e juros mais baixos. Por isso, você pode pagar menos pelas suas dívidas.

Para conferir as vantagens dessa modalidade de crédito, faça uma simulação clicando nesse link.

Baixe o checklist e dê o primeiro passo para controlar melhor o seu dinheiro

Julia Broens

Seguidora fiel do mundo financeiro, de inovação e tecnologia, escrever sempre foi uma das minhas grandes paixões. Sou formada em Comunicação Organizacional e acredito que a boa comunicação é fundamental para descomplicarmos o universo financeiro

Visualizar todas as publicações

Um jeito descomplicado de você acompanhar as novidades do nosso blog.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *