10 dicas para quitar suas dívidas até o fim do ano e ainda economizar

Julia Broens

3 de outubro de 2019

Atualizado em: 11 de outubro de 2019

Algumas atitudes simples podem te ajudar a pagar suas dívidas e ainda virar o ano no azul, sem preocupações. Confira!

Segundo dados do Serasa Experian, mais de 63 milhões de brasileiros estão negativados — número que representa mais de 40% da população adulta brasileira. Com a chegada do fim do ano, muita gente com débitos em aberto fica angustiada pelo fato de começar um novo ano com contas pendentes. Além disso, com os credores cobrando, não é difícil encontrar pessoas com depressão por causa de dívidas, já que as consequências de um endividamento afetam o bolso e a saúde. Mas nem tudo está perdido! A boa notícia é que ainda dá tempo de virar o jogo, sair das dívidas e começar o ano no azul. Confira nossas dicas!

O que fazer para pagar uma dívida mais rápido?

Quem está no vermelho ainda tem tempo de se organizar para quitar as pendências antes do ano terminar. Para isso, o primeiro passo é fazer um levantamento de todas as contas atrasadas. É necessário anotar tudo, como as despesas da casa, pendências no cartão de crédito, carnês, uso de cheque especial etc. Após levantar essas informações, coloque o valor que deve ser pago, junto com as taxas de juros cobradas para calcular o total devido.

Com essas informações listadas, observe quais dívidas possuem as taxas de juros mais altas — são essas que você deve priorizar o pagamento. É importante liquidar as dívidas com altos juros primeiro, pois são elas que fazem você se endividar cada vez mais, transformando um débito aberto em uma verdadeira bola de neve.

Se essas contas já estiverem atrasadas, o ideal é realizar a renegociação do valor com o credor. Isso pode ser feito ligando para o banco, para o atendimento do cartão de crédito etc. Tenha em mente que você pode, sim, conseguir um desconto para quitação da dívida à vista ou até mesmo se precisar parcelar o valor total.

As dívidas com cartões de créditos são uma das que mais afligem os brasileiros. Segundo dados do Banco Central, a taxa média de juros do rotativo do cartão de crédito chegou a 300,1% ao ano em junho de 2019. Para você ter uma ideia, quem paga pelo menos o valor mínimo da fatura do cartão de crédito tem taxas de juro que chegam a 277,2% ao ano, enquanto quem não paga nem o mínimo sofre com taxas de 316,4% ao ano. É muito dinheiro que você dá à toa para o banco!

Outra dívida que abusa na taxa de juros é aquela adquirida com o uso do cheque especial, linha de crédito oferecida por muitos bancos que permite ao correntista usar uma quantidade de dinheiro previamente definida pela instituição financeira caso não tenha dinheiro na conta. O cheque especial é considerado uma linha de crédito “emergencial”, mas, ainda segundo os dados do Banco Central, as taxas de juros dessa modalidade atingiram 322,2% em junho de 2019.

Quem já precisou pagar o mínimo da fatura do cartão de crédito ou caiu no cheque especial  muitas vezes acredita que esse é um caminho sem volta. Mas existem maneiras, sim, de se restabelecer e se livrar desse pesadelo. 

Uma maneira inteligente de acabar com uma dívida pesada é trocá-la por outra com taxas de juros mais baixas. Muita gente se assusta ao pensar em “trocar uma dívida por outra”, mas essa é uma alternativa muito boa para quem está endividado. Nós aqui da Bcredi oferecemos empréstimos com garantia de imóvel com taxas de juros que partem de 0,99% ao mês, bem diferente dos valores praticados no cartão de crédito e no cheque especial.

Dessa maneira, você deixa de jogar dinheiro fora com juros altos e consegue restabelecer sua vida financeira e emocional com parcelas que cabem no seu orçamento.

Dicas para acabar com as dívidas e ainda poupar

Confira como atitudes simples do seu dia a dia ajudam a acabar com as dívidas e, muitas vezes, fazem com que sobre um dinheirinho no final do mês!

  1. Faça uma planilha para controlar os gastos

Controlar suas contas com muita atenção é primordial para não se endividar novamente. Esse controle pode ser feito no papel ou usando uma planilha de finanças pessoais. Como você vai fazer isso é decisão sua, mas tenha em mente a necessidade de anotar tudo o que você gasta, desde um cafezinho com pão de queijo na padaria até a compra de uma televisão parcelada, por exemplo. É tudo questão de hábito! Com o tempo, esse processo de registrar o que se gasta passa a ser bem natural.

Nessa mesma planilha, anote quanto dinheiro você recebe todos os meses. Esse valor é composto pelo seu salário, um bônus que a empresa pagou a você, uma grana que ganhou de aniversário, etc. Dessa forma, você vai perceber direitinho onde o seu dinheiro está indo e também não se perderá nos pagamentos que deve fazer.

Se mais pessoas moram com você, é muito importante que todos os familiares entrem nesse esquema. Se cada membro ajudar a controlar os gastos, será muito mais fácil e saudável acabar com as dívidas.

  1. Sempre tente renegociar uma dívida

Quem já está endividado jamais pode esquecer da possibilidade de renegociar uma dívida. Muitas vezes, é mais interessante para um banco receber parte do que você deve do que não receber nada. Assim, fazer renegociações que sejam interessantes para as duas partes é sempre uma boa alternativa. Não tenha vergonha de fazer isso!

  1. Priorize dívidas com juros mais altos

Nunca é demais reforçar a importância de acabar com as dívidas que cobram os juros mais altos. Essas são as contas com as maiores chances de se tornarem endividamentos pesados. Foque em fazer a renegociação e quitação delas!

  1. Corte gastos desnecessários

A partir do momento que estiver bem claro quanto dinheiro recebe todos os meses e quanto está gastando, você começará a observar criteriosamente cada tipo de compra que está realizando. Nesse momento, muitas daquelas “compras por impulso” vão surgir e no final das contas você perceberá que elas nem eram tão necessárias assim. Com tudo anotado em uma planilha, é possível avaliar e cortar gastos desnecessários. 

E não pense que fazer isso é muito difícil, pois até o fato de levar marmita algumas vezes na semana ou ir trabalhar de bicicleta já ajuda a cortar gastos. Inclusive, pequenas atitudes no seu dia a dia como tomar banho mais rápido, apagar as luzes quando sair de um cômodo, tirar equipamentos da tomada e fazer uma listinha de compras antes de ir ao mercado já ajudam, e muito, você a economizar. De pouco em pouco, uma graninha começará a sobrar no final do mês!

  1. Defina metas no seu orçamento

Estipule metas para atingir em curto, médio e longo prazo com seu dinheiro. Planeje o que deseja adquirir e reserve uma parte do seu salário para poupar com esse objetivo. Quando começar a cortar gastos desnecessários e ver seu dinheiro sobrar no final do mês, em vez de gastar essa graninha como se não houvesse amanhã, você pode poupar para cumprir suas metas.

  1. Descole uma renda extra

Se o dinheiro não está sobrando ou na verdade está faltando para quitar suas dívidas, a dica é procurar meios de conseguir dinheiro rápido para não entrar na estatística de inadimplência. Você pode fazer um bico, começar a fazer docinhos, artesanato ou outra atividade que você seja bom para começar a vender.

Dentro do seu armário também existe um monte de dinheiro parado com roupas, sapatos e relógios que você não usa mais. Vender esses objetos também é uma boa maneira de levantar dinheiro e quitar as contas no final do mês.

  1. Pesquise muito antes de comprar

A internet está aqui para te ajudar a pesquisar preços de todo tipo de produto possível. Antes de decidir comprar algo, realize uma pesquisa com calma em diferentes sites para ter ideias de valores. Faça a mesma coisa “batendo perna” nas ruas de comércio e não tenha vergonha de pechinchar antes de comprar o que precisa. Essa é uma dica de ouro para todo consumidor, mas quando se trata de uma pessoa que está endividada ou que acabou de sair desse problema, toda economia é uma recompensa.

  1. Negocie suas compras à vista

Quando você tem dinheiro para realizar uma compra à vista, as chances de ganhar desconto aumentam. A partir do momento que suas finanças pessoais já estiverem em dia, faça o possível para guardar seu dinheiro e tente comprar o que precisa à vista. A satisfação em não trazer dívidas para casa será grande!

  1. Reduza os limites dos cartões e do cheque especial

Um jeito mais radical de controlar os gastos e evitar dívidas é reduzir o limite do cartão de crédito e do cheque especial. Se esse saldo não está disponível, você não tem como gastá-lo. É quase uma maneira de “não cair em tentação” que funciona no dia a dia.

Caso realmente precise comprar algo no crédito, só use o cartão se você realmente conseguir quitar a dívida de forma integral no mês seguinte, não parcele o valor! Dessa forma, você passa a ter mais controle sobre seu orçamento e não gasta além do que pode.

  1. Saque dinheiro para gastar durante o mês

Uma coisa é fato: quando você observa o bolinho de dinheiro desaparecendo da sua carteira, o choque de realidade com os gastos desnecessários, que podem desencadear em um endividamento mais sério, fica nítido diante dos seus olhos.

Por isso, quem precisa controlar as finanças para acabar com as dívidas pode sacar um dinheirinho, que não comprometa o orçamento no final do mês, para gastar durante um passeio. A ideia é não ir ao shopping ou ao mercado, por exemplo, com o cartão de crédito — deixe o “dinheiro de plástico” guardado em uma gaveta em casa. Muitas vezes, nós compramos coisas por impulso que no fundo nem precisávamos. Sem o cartão na carteira, você não corre o risco de cair nessa armadilha.

Acabe com suas dívidas antes do final do ano

Se você precisa levantar dinheiro rápido e sem burocracia para quitar uma dívida alta, faça uma simulação de empréstimo aqui na Bcredi e deixe de jogar dinheiro fora com pagamento de juros exorbitantes cobrados por muitos bancos, trocando uma dívida com prestações altas que comprometem o orçamento no final do mês por outra opção com parcelas que cabem no seu bolso.

O empréstimo com garantia de imóvel é considerado uma operação de baixo risco e, por isso, nós conseguimos oferecer créditos com taxas de juros atraentes que partem de 0,99% ao mês. Qualquer pessoa que tenha casa, apartamento, sala comercial e até terreno quitado em seu nome pode solicitar esse empréstimo, que tem prazo longo para quitação, podendo chegar a 180 meses. Todo o processo é feito online, sem enrolação e sem precisar ir pessoalmente a um escritório — até mesmo o envio da documentação é feito pela internet e, após a aprovação, em até 10 dias o dinheiro cai na sua conta!

Você pode fechar o ano no azul, saindo do endividamento do cartão de crédito ou cheque especial para começar uma nova fase na sua vida. Vem falar com a gente!

Julia Broens

Seguidora fiel do mundo financeiro, de inovação e tecnologia, escrever sempre foi uma das minhas grandes paixões. Sou formada em Comunicação Organizacional e acredito que a boa comunicação é fundamental para descomplicarmos o universo financeiro

Um jeito descomplicado de você acompanhar as novidades do nosso blog.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *